segunda-feira, 19 de outubro de 2009

nuvens e afins


nuvens e afins
fazem índices celestiais
setas e sinais
que apontam alguma coisa

coisa boa!

chuva cai depois do trovão,
assustando as vaquinhas no pasto.
algumas morrem de medo
e ali mesmo são assadas.

comemoração: churrasco.

não ghost de carne
porque tenho medo
de assombração:
vacas, porcos, perus, galinhas, peixes...
todos
puxando e bicando meu pé de madrugada!!

quero um queijinho minas
e algumas dúzias de banana.

nuvens e afins
fazem sinais no céu e
espero que sejam de algodão doce!

fase que vem

fase que vem,
fase que vai:
haikai.

lucidez

luz brilha
mente pula de vez
lucidez

ferida

pele ferida
carne sangra
sinal de vida

problemas

problemas
raso e sem fundo
mergulho

segunda-feira, 12 de outubro de 2009


morte

medo

vivo.


vive morto

quem

te teme.


tabu

do

desconhecido.


abismo

que não

se vê.


profundo

rasgo

na carne.


alma

em algum

lugar.


há algum

lugar,

alma?


tremem-se

esperneiam-se

silenciam-se.


terras

chamas

formol.


mera

impressão

de algo.


temem

tentam

vencer.


ser mais forte

preparar-se

descansar.


eufenismos,

desconversas,

mentiras.


abrandar

o baque

que dá.


a última batida:

do coração,

do ar.


doer-se,

ser roído,

ser esquecido.


esquecer?

o que tem

para se lembrar?


fagulhas

estalos

clicks.


rápido:

passageiro

e artista.


ruptura

(da rotina)

meio e fim.




celular

Celular
pra ti
em qualquer
lugar

domingo, 4 de outubro de 2009

Rio 2016!


Rio 2016!




Agora, chegou a nossa vez!


Rio, 2016!


Se estivermos vivos,


se ainda existirmos,


se nossa grana der,


se hitler não intervier.




Rio 2016!


alguns bilhões de dólares!!


pro Brasil é fichinha fixinha...




2016, ano do esporte no Brasil,


memorável ano,


é a primeira olímpiada na América do Sul!


é a primeira do Brasil!


em todas as modalidades!!


TODAS!




nossa luta, agora,


será arrebatar, também,


as olimpíadas de inverno!




Viva viva viva!!!

A poesia



A poesia é um momento
que passou na minha cabeça.
se me agrada e não a ti
lamento.
não era o objetivo desta
vida que quer sair da ponta,

pular

de

pon

t

a

no ar que respiramos

onde fingimos que somos
e pensamos dar conta
de salvar da superfície
dos escombros
alguém sob o concreto.

traça

graça?
ela não tem graça
maldita pirraça
veneno não mata a raça
que corta letras e disfarça
de fato parece farsa
pequena mas destrói a Barsa
os meios todos escassa
novamente saio à caça
do bichinho da desgraça
pequena e dócil traça
se achar essa
vira massa
e dessa
não
passa

Relâmpago

Relâmpago:
rápido
e manco

o trabalhador

o trabalhador
trabalha
sente
a dor