quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

olho pela janela embaçada


olho pela janela embaçada
e do lado de cá vejo nada.

passo a mão num movimento rápido.
são águas descendo como enxurrada.

gentes se molhando,
gentes pulando riachos,
gentes molhando cachos.

final da tempestade,
noite de futebol.
sabe o que acho?
um retrato seu
em seu quarto.

tecnologia para exterminar líderes latinos?


fidel castro.
fernando lugo.
dilma.
hugo cháves.
lula.
cristina kirchner.
conspiração?
tendências?
lei de murphy?
tecnologia para exterminar líderes latinos?
ah!!
chega de desatinos!
eram possibilidades!
e assim caminha a humanidade!
do lula posso falar:
o mal dele foi fumar.
castro?
idade.
lugo?
descastidade .
dilma?
humm...??
chávez?
ditadura dura.
kirchner?
sei lá.

vamos esperar o tratamento,
desenvolvido,
em sua maior parte,
nos EUA...

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

eu quero é escorregar-me neste arco-íris!


passeio por um buraco negro
como se caminhasse no sabiá.
vou andando em passos suaves
sem saber onde vou parar.

piso em algo estranho.
o que é?
impossível ver.
sinto o estalar de folhas secas...
são folhas secas!

o gigantesco buraco me suga.
e leva comigo minhas roupas sujas
e minhas rugas de expressão.
agora nem sei o que sinto.
alegria?
espanto?
raiva?
tristeza?
nada disso?

vou andando e sendo sugado rumo ao desconhecido.
alguns casulos explodem.
outros ainda adormecidos...
a vida é...

há vida???

lindos insetos multicoloridos pintam a escuridão!
as cores se refletem num ambiente psicodélico!
buraco negro?
que buraco negro que nada!
eu quero é escorregar-me neste arco-íris!
ao menos sei
que cairei
num caldeirão com ouro
roubado do rei.
ei! arco-íris não é só
o símbolo do movimento gay,
é também a bandeira
das tribos andinas.
é isso que sei...

e as reticências que nos separam...


saudade...
quando os portugueses inventaram essa palavra,
inventaram também o mar
e as reticências que nos separam...
depois inventaram o ai.
mais um pouco e me vieram com o que.
ai
que
saudade
do cê!

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

para quem nunca amou, sim!

inclina teus olhos sobre a dor deste povo.
veja como são felizes mesmo assim.
que dor é esta da falta?
reveste teus olhares de algo novo:
amor.
é novo?
para quem nunca amou, sim!

sábado, 24 de dezembro de 2011

natal


natal
sem
(você)
presente
não é
legal.

sem presentes
não tem problema!
afinal,
isso
não é
o que faz
um natal.

e Viva o Menino Jesus!

disse: tiau tiau au au!!


a dona entrou no ônibus interestadual.
o cãozinho não pôde seguir junto.
abanando o rabinho ele percebe que ligam o motor.
o coraçãozinho acelera.
ai meu Deus! como ficar sem ela?
e corre atrás das rodas gigantes feito um cachorro doido!
e corre até não suportar mais o peso do rabo...
pela janela, a dona dá aquela olhadela.
disse: tiau tiau au au!!
e o cãozinho dobra a esquina
esperando passar
a velha sina
do vovô que
mora noutra
paisagem.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

cupidos atiradores


irmãos gêmeos
sentem coisas iguais
e as vezes seguem rumos também.
almas gêmeas como são?
cupidos atiradores de elite
viram-nos alvos
como a lua cheia.
e nos acertou em cheio!
duas claras almas gêmeas
caminhando rumo ao
brilho do céu
destas terras
do cerrado.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

nos porta-retratos!


assim me faz bem!
saber que faço parte dessa vida
onde habitam sonhos tão lindos!
e quanto mais lindos, melhor!
mais vontade e determinação para tê-los concretos
mesmo que sejam abstratos.

ah...são fatos!
eu e você
nos porta-retratos!

__ve se me esquece!!

oi!!!psiu!!!tá metida!!
(....)
finge que não conhece??
__ve se me esquece!!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

viagem pra santo andré:


viagem pra santo andré:
ai meu Deus! tem que ter fé!
praia, festa e inundação.
dias longe de um bom banho.
acho que vou ficar descheiroso
e desgostoso.
vou comer coxinhas
de beira de rodovia,
vou surfar no esgoto
que brotou em niterói outro dia;
vou ameaçar pular da torre de telefonia
e, quem sabe, lá de cima te ligar a luz do dia?
vou ficar plantado em meio ao miaral
como se fosse um espantáio com dor...dor... estomacal!
vem logo!
banho de mar?? só se for de burca!
santos?...guarujá?...praia grande?...
os tubarões do mar podem ser piores que os gaviões do cerrado...
nem na terra do visconde!
e nada de passear de shortinho em santo andré!
chato eu???
chato nada...
prevenido!
já encomendei meia dúzia de burcas do iêmem!

mandaram junto o ditador jong-il.


sábado morreu kim jong-il,
na segunda,
a alta cúpula militar
dispara um míssil.

na coreia do sul teve quem viu.
da china também teve quem viu.
no japão ainda não.
mas é quase certeza que no míssil
mandaram junto o ditador jong-il.

domingo, 18 de dezembro de 2011

carro perdido no estacionamento gigantesco do shopping...


carro perdido no estacionamento gigantesco do shopping...
onde está???
perdido! perdido!
procura procura procura...

veja no mapa virtual!
ok!
pior que notícia de jornal.
risca, anota, rabisca...
câmeras escondidas e a vista em toda parte.
é o medo e a possibilidade de se identificar o criminoso depois.

pronto!
carro achado!um dois treiss!
feijão com arroizz!
vou-me embora!

opa!

barrado no portão de saída!
__aguarde um pouco senhor..
ei! tá tudo bem! aqui meus documentos!
__por que o senhor escreveu duas vezes esse nome??
peraí!! isso é constrangimento ilícito!
e o final do momento onírico.

até que parece a mamãe...


o vestido da mãe
ficou grande,
mas serve prum arrastapé.
é aí que tropeço no rabo de saia
e sai da frente!
crianças e garçons e toda gente!
até que parece a mamãe...

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

florzinha de dezembro


florzinha de dezembro
que se molha nas fortes chuvas desse mês
e, mesmo assim, floresce.

florzinha que, às vezes, se esconde sob cobertores, aquece,
e parece dizer que nem tudo são flores.

vida de primaveras.

ao lado seu sempre
flores vívidas
serão nossas
vidas.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

e aperta, e amordaça, e esgana.

um macaquinho muito louco te abraçou.
para deixar curvas sinuantes
e ficar como um violão.

mas macaquinho e pastel não funcionam.

e aperta, e amordaça, e esgana.

mas modela?
modela!
fica feito uma mortadela!
e a barriga fica retinha!!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

guarde o shortinho para o polo norte


o shortinho foi feito pro polo norte!!
e não para as redondezas do aparecida!
alguns passos:
__gostosa!
e mais outros:
__gatinha!
um pouco mais:
__hummm....
e assim vai com uma multidão de ursos gaviões polares à espreita.
sabemos que o urso branco está em extinção,
mas os ursos gaviões polares não.
guarde o shortinho para o polo norte
e nada de abusar da sorte.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

monstros que brotam no fim dos oceanos


monstros que brotam no fim dos oceanos,
nos lagos nesses da vida,
em tóquio,
em hollywood.

criadouro de monstros?
não quero!

chego em casa domingo a tarde;
dou de cara com uma mulher.
o que é isso?
um monstro!
pronto!
criado mais um monstro
e todos os seus
desencadeamentos.

não posso criar nada
pois não mando neste quintal!
mandei pro quarto do dono
porque era o melhor a se fazer.
e outra: ele que se vire!!

como lidar com as adversidades?
paciência...
e com os monstros?
fogo neles!!



sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

__#%##{{:(!!


sábado:
serenata agendada no começo da tarde;
reunião com espera de três meses;
grupo reunido;
casamento para tocar.

domingo:
00h00 passando o cartão;
12h00 passando o cartão;
visitas e outros afazeres.

sexta:
__"final de semana em caldas! vamos??"
não posso...já tenho compromissos...
__desmarca desmarca desmarca!
tenho palavra! não posso desmarcar assim...
__não acredito...
deixa pras férias...
__vai fazer isso comigo?
não fiz nada!
__#%##{{:(!!
... :|

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

na fanfarra que desce ladeira.


inflama
meu coraçãozim
quando diz
que me ama.

tum tum tum, tum tum tunzim...

bate que bate assim
feito tambor de banda mirim
ora não, ora sim,
na fanfarra que desce ladeira.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

mas não tens bolso...


telefone celular
pra que fui te comprar?
quando preciso de ti,
você não está.

some mo meio do almoço,
corre atrás de papéis
e, enquanto isso,
nós aqui no desaviso,
roendo até os anéis!

e ainda cutuca la madre?
não...
não se pode fazer isso...
o mundo anda tão perigoso
e as mocinhas da cidade
são bonitas e dançam bem....

nos preocupamos por que hoje é mais fácil nos falarmos
e tudo acontece muito rápido.
nos preocupamos por que pode aparecer um larápio,
ou uma enchente, ou um meteorito cair sobre o aparecida.
e como saberemos seu paradeiro?
ta na rua?
ta na chuva?
ta na fazenda?
ou numa casinha de sapê?
ah!
ta num apê?
fala com a gente!
tens créditos!
mas não tens bolso...


salário logo no mínimo os 30%!

escreve passe e lave!
leve antes de lavar!
discorre sobre este assunto breve!
faça de conta que nem temos greve!
bancos fechados!
correios também!
como mandarão a conta para que eu pague?
e caso se achegue, como pagá-la se lá fechado está?
salário logo no mínimo os 30%!
e o resto?
deixemos ao vento.

domingo, 4 de dezembro de 2011

vou pedir à Deus.


percebo seu esforço.
vi a sua dor.
quero que nossa senhora
te cubra de suave odor.
que são rafael, o santo anjo,
cumpra bem o seu papel.
quero que seu joelho direito
fique direito.
como muito tenho querido,
vou pedir à Deus.
ele mesmo é quem sempre sabe o que é melhor.
quero ver-te caminhando a esmo,
apenas saber andar.
quero ver-te dançando qualquer música,
sem se preocupar se o passe esta certo ou errado,
apenas dançando.
quero só ver-te bem.

não tenho medo de ti, óh tempo!


não...
não tenho medo de ti, óh tempo!
como é que sois mesmo?
como tens passado?
como sois no futuro?
e como sois agora?
vais indo como se nunca chegásseis...
ai tempo...como tenho me esforçado para escrever assim,
num português bunitim que nem sei se ta certim...
também? quanto tempo....

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

aprender novas receitas de pão;


20!
vinte vê!
vinte dias!
vinte meses!
estou bem criado e sadio!
sei das rotas que me levam até a água cristalina!
sei que tudo pode ser mais bombom e purpurina!
em vinte meses podemos fazer muitas coisas:
construir um veleiro à mão;
aprender novas receitas de pão;
inventar uma nova espécie de flor.
viva a cor desse dia!
viva sua doce melodia!

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

deixará o ministro lupi no cargo?


dona dilma,
é verdade que vossa excelência
deixará o ministro lupi no cargo?
__sim, por quê?
porque ele tá dando muito trabalho
e as evidências de tramucaias são muitas.
__ah é?
é.
__saibas que tenho o rabo preso
e ainda sofro de prisão de ventre! está bom pro senhor?
vossa excelência não governa, é governada!
__meu governo não é nada!? vai pra china que o pariu!!
ok...ok...o sr. carlos lupi te ama mesmo ou foi apenas força de expressão?
__me ama. ame-o ou deixe-o...conhece?? dos tempos da ditadura!
sei...sei...a senhora seria capaz de atirar nele?
__da ditadura tenho medo e dos tempos de chumbo também...vou comprar bala chita e oferecer ao nobríssimo amante d´outras horas.
anrrã...
__rã? rã não! pererecas!

amordaça e passa


linha tênue
de fino traço.

que, num abraço,
faz-me ruir.

amordaça e passa
por cima da minha
pouca massa.

linha tênue
com sua graça
me trespassa
de fazer rir.

mas eram três da matina.


a roda estava feita
num momento onírico.

dança, batucada e outras coisas.
é uma religião ou seita?

nem sei mas vou me lembrar.
a baiana rodava feito pião
com uma caixa pendurada
por correntes.

__onde parar é porque vai ter morte!
disse sombria logo no meu primeiro dia.
sei lá se era para me assustar,
só sei que na minha frente aquele trem foi parar.

morte??
desta sorte nem vou me livrar!
gritei.
por cima de todo mundo esse trem vai passar!
acho que foi claro como o sol do meio dia,
mas eram três da matina.

tomar-me café

deveres de casa:
corrigir redações;
recortar e colar;
enfeitar o caderno;
imprimir material;
me encontrar;
tomar-me café
e pronto.

tempo curto
para curtir
você.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

domingo, 27 de novembro de 2011

amém?

nossos planos são um.
o plano de Deus para nós
é outro.

bom será quando os planos
serem, enfim,
um pelo outro.

um salário maior,
um novo diploma,
tudo vem
só se for
para o nosso bem.
amém?


sexta-feira, 25 de novembro de 2011

isso é nome de travesseiro??


leve seu gu para o sofá.
daqui a pouco vou pra lá.
gu pra cá, gu pra lá...
meu Deus!!
isso é nome de travesseiro??

o macaquinho entrou na porrada


o macaquinho entrou na porrada
com um mecânico (que foi mexer com quem tava queto).

na lagoa, o clima esquentou
e o bêbado tomou arranhões,
mordidas e puxões de cabelo;
o macaquinho, coitado,
ficou com o olho direito inchado.

atormentar os animais no zoológico??
ahhh seu pingaiada!! isso não é direito!

depois do hospital
o pé-de-cana passa bem,
e o macaquinho, também.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

um infinito beira nossa estrada.


um infinito beira nossa estrada.
é como o nome diz:
um infinito.
nem uma abelha, nem um mosquito.
é um infinito bonito, um lugar onde ser feliz
é a única lei.
onde beber água quando a sede está matando
e passear sob as árvores do bosque dos buritis
é algo que se torna sempre bom,
por mais que seja novamente
falta de água e de sombra fresca.
sempre tem suco de melancia
e bombom.
na vitrola um pouco da filha da elis
e do chico cantando com a nara.
nossa estrada leva para lá.
um lugar onde,
de tão bonito que é,
parece não ter fim.
sabe?
tudo que é bom
dura para sempre.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

onde estão os talheres?

copa,
cozinha
e olimpíadas.

onde estão os talheres?
lápis, caderno e giz?
bolas, raquetes,
redes e ciências
sociais?

preciso aprender mais
sobre este país
do futebol.

é hora de educação total!

pra gente jogar bem bola,
pra gente fazer bem nos jogos,
pra gente ter dignidade.

ahhhhhhhh lupi......


ahhhhhhhh lupi......
dando trabalho, hem?
e nós aqui precisando muito disso!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

quem te vê quem te viu?

uma em mil.
quem te vê quem te viu?
eu!

um sonho feio


um sonho feio
no meio da noite:

"era hora alta noturna
quando estávamos
navegando em alto mar (...)"

que tem de feio nisso??
achei dos mais bão!

calmas!

sarnas,
piolhos e
tuberculose.

calmas!

para sarna
um sabonete
apropriado,
para piolhos
um pente fino
e um bom shampoo
pesticida,
para tuberculose um pouco mais:
rifampapicina, isoniazida, pyrazinamida etambutol.

tá legal!

domingo, 20 de novembro de 2011

variados modelos de gaviões.


por muito tempo os gaviões cercaram
a jovem borboletinha.
variados modelos de gaviões.

o gavião gigante:

possui dentes postiços
e nariz (ou bico) avermelhado e torto,
além de ser muito esquisito, é bem provável
que sofra de sérios distúrbios mentais.
um andar desengonçado
acompanhado de um chapéu de palha
o tornam feito um espantalho zumbi.
longe daqui!

o gavião cantador:

toca violão e tenta cantar,
adora pagar de santinho
mas é santinho do pau oquinho.
cheio de trejeitos e ciúmes descabidos,
é inconveniente e tremendamente insuportável,
além de possuir reações impensáveis
como, por exemplo, lascar o bico na boca alheia
fazendo correr muitos sangues.
mereceu bloqueio antes de todos;

o gavião esquizofrênico:

como apresentado no codinome,
é um gavião atormentado.
vive atrás da borboletinha,
perseguindo-a pelas ruas
com sua bike enfurecida
e apaixonada.
tem um estranho olhar de peixe morto
e um jeito louco de ser
que não se incomoda nem com
um borboleto perto.

o gavião pastor:

é uma espécie perigosa.
vive de pastorear e se utiliza
de suas condutas e atribuições
para seduzir suas ovelhinhas
e borboletinhas.
com seu bico inconfundível,
chega de mansinho por trás
das roupas de pastor do campo e
quando vê, leva suas vítimas
para o hot park.

o gavião manso:

cuidado!
o gavião manso chega com
uma fala também mansa!
é um bon vivant.
devagarinho, vai ganhando confiança
para dar o bote final.
é um tipo que age com cuidado
para não espantar a borboletinha,
que, inocente, pode ser alvo
desse tipo de gavião gente.

existem outros naipes de gaviões
que aqui prefiro não relatar
caso contrário, não terei tempo
para descansar.
descansar?
como?
com esse tanto de gavião??
tem jeito sim!!!
com a borboletinha perto de mim!







quinta-feira, 17 de novembro de 2011

minha mega-sena!


minha laço de cetin,
minha terra pertim,
minha coisinha de unhas novas,
minha presente agora!

minha tuda!
minha caminha!
minha plana de Deus!
minha placa indicativa!
minha flor de todos os meses!
minha mega-sena!

não gosto de jiló e isto é só!


tenha dó!
não gosto de jiló e isto é só!
principalmente daqueles jilós vermelhos
com caules brancos!
nem...........
nem pensar em jiló!
um amargo
gosto
inventado!
era pra ser uma metáfora??

tréplica

usp.
USP!
sim...
políticas públicas
e nada de ditadura!
mas...
chega de associar humanas
às maconhas da vida!

réplica

notícias pós-desocupação da usp


Nota pública de pesquisadores da Universidade de São Paulo sobre a crise da USP


Nós, pesquisadores da Universidade de São Paulo auto-organizados, viemos por meio desta nota divulgar o nosso posicionamento frente à recente crise da USP.
No dia 08 de novembro de 2011, vários grupamentos da polícia militar realizaram uma incursão violenta na Universidade de São Paulo, atendendo ao pedido de reintegração de posse requisitado pela reitoria e deferido pela Justiça. Durante essa ação, a moradia estudantil (CRUSP) foi sitiada com o uso de gás lacrimogêneo e um enorme aparato policial. Paralelamente, as tropas da polícia levaram a cabo a desocupação do prédio da reitoria, impedindo que a imprensa acompanhasse os momentos decisivos da operação. Por fim, 73 estudantes foram presos, colocados nos ônibus da polícia, e encaminhados para o 91º DP, onde permaneceram retidos nos veículos, em condições precárias, por várias horas.
Ao contrário do que tem sido propagandeado pela grande mídia, a crise da USP, que culminou com essa brutal ocupação militar, não tem relação direta com a defesa ou proibição do uso de drogas no campus. Na verdade, o que está em jogo é a incapacidade das autoritárias estruturas de poder da universidade de admitir conflitos e permitir a efetiva participação da comunidade acadêmica nas decisões fundamentais da instituição. Essas estruturas revelam a permanência na USP de dispositivos de poder forjados pela ditadura militar, entre os quais: a inexistência de eleições representativas para Reitor, a ingerência do Governo estadual nesse processo de escolha e a não-revogação do anacrônico regimento disciplinar de 1972.
Valendo-se desta estrutura, o atual reitor, não por acaso laureado pela ditadura militar, João Grandino Rodas, nos diversos cargos que ocupou, tem adotado medidas violentas: processos administrativos contra estudantes e funcionários, revistas policiais infundadas e recorrentes nos corredores das unidades e centros acadêmicos, vigilância sobre participantes de manifestações e intimidação generalizada.
Este problema não é um privilégio da USP. Tirando proveito do sentimento geral de insegurança, cuidadosamente manipulado, o Governo do Estado cerceia direitos civis fundamentais de toda sociedade. Para tanto, vale-se da polícia militar, ela própria uma instituição incompatível com o Estado Democrático de Direito, como instrumento de repressão a movimentos sociais, aos moradores da periferia, às ocupações de moradias, aos trabalhadores informais, entre outros. Por tudo isso, nós, pesquisadores da Universidade de São Paulo, alunos de pós-graduação, mestres e doutores, repudiamos o fato de que a polícia militar ocupe, ou melhor, invada os espaços da política, na Universidade e na sociedade como um todo.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

não quero saber do papai noel.


não quero saber do papai noel.
bicho estranho criado pelo seu capitalista.
o bispo era diferente!
nada de papaizinho noel pendurado em minha porta,
em minha janela, em minha chaminé!
ora!
não me agrada!
papai noel não tá com nada!
ah...
um presépio é bonito...
uma vaquinha,
um burrinho,
passarinhos acordados,
o menino,
a mãe
e o pai.
uma manjedoura.
pronto!
isso é bonito!
nada de papai noel pendurado feito ladrão!
presentes!
presentes!
presentes!
conheço muita gente!
vou quebrar!
vamos pendurar esse papai noel verde
em outra porta!
papai noel?
que papai noel que nada!
eu quero é o presente da minha amada!

gugu, faustão, sílvio santos


uma assistente de palco sensacional!
assessora de comunicação maravilhosa!
expert!
água!!
__água!
cartões!!
__cartões!
guaraná!
__guaraná!
você é o que há!
acho que vou ficar esperto:
gugu, faustão, sílvio santos
(e outros tantos)
tão de olho no seu passe charmoso...
nem vem!
que essa é minha
e de mais ninguém!

domingo, 13 de novembro de 2011

põe um sorrisão e isto é o suficiente.


longas madeixas!
enroladas?
longo vestido!
que vermelho...
o que fazer para ficar bonita?
ahhh!!
nada não!
tá feita!
nas mãos do criador
estavam pinceis e cores!
e, no branco da tela da vida,
surge este desenho lindo.
põe um sorrisão e isto é o suficiente.

em ver com olhos abertos.

um céu se abre
de possibilidades
quando se espreitam
sonhos de verdade.
daqueles que realmente
teremos felicidade
em ver com olhos abertos.
sinto-me todo estrada,
mas estrada que leva a nada.
vejo um caminho!!
um caminho que leva a tudo:
vida.

sábado, 12 de novembro de 2011

o nem deixou a favela.


o nem deixou a favela.
num carrão de luxo
acompanhado
por batedores
pulissas.

mas nem deixou a favela...
ao topar com o souza
quis dar um milhão
e tomou dois:
dois círculos,
um em cada punho.
e toda comitiva
foi detida.
meu Deus!
isso é vida!
digna!

aos polícias
que fizeram a prisão?
parabéns!
cumpriram bem a obrigação!
aos pulissas que escoltavam
o bandido?
cadeia neles!
perdeu perdido!

é um rito:

é um rito:
eu chego,
você pula
e dá um
grito.
não!
nada de grito
contrito!
como reza
o rito,
um grito
de atrito!

terça-feira, 8 de novembro de 2011

nas correntezas do são francisco


no delta do nilo ou do amazonas,
nas correntezas do são francisco
ou nas quedas do paraná,
sei que você sempre fico
até alcançarmos o mar.
um mar de amar!

sarau.

sarau.
sarau?
pelo menos um alô?
nem alô,
nem see we later!
só sarau
até lá pras 21...
uau!
fim do sarau!
um passeio
entre
o bem
e o mal.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

é quase dia de me afogar!


sinto uma força maior que o mês
sempre que te vejo e toda vez.

saio correndo atrás dos fusos horários
pensando que estamos no acre e não nas bermudas.

minha água me traz o acerto.

é quase dia de me afogar!

maconha na USP:


maconha na USP:
problema antigo
que, em quem, causa perigo?

assassinato na USP:
latrocínios, assaltos, violências, tráfico...
nesse campus eu não fico!

polícia!
mais segurança!
mais luz!

pronto...
feito!
obrigado sr. prefeito!

estudo em grupo dentro de um carro:
nada mais aconchegante!
polícia!
é baseado que tão estudando!
cadeia e falta pra eles!

e mais uma primavera árabe!
só que no campus da USP!
e mais loca ainda!
queremos paz!
para nos drogarmos em paz!
e sermos os novos profissionais liberais!
ahhh!!!!!!
não merecemos tamanha ridiculeza
e constrangimento!
bota fora nesses malucos acampados na reitoria!
vândalos!
atrapalham todos e tudo
por uma pegada num baseado qualquer!
que se droguem nas bocas e não nas salas!

punição!
cadeia!
acordo??
acordo com maconheiro?
e onde ficam os estudantes da paz?

democracia.
vivemos numa.
mas as drogas
ainda são proibidas.

fuego! fuego! fuego!

caem águas agora.
caem como chuvas
lá fora.
cá dentro?
fuego! fuego! fuego!

sábado, 5 de novembro de 2011

um beijo de boa noite
é só um beijo de boa noite.
boa noite
é só uma
força de expressão.
se for beijo de boa noite mesmo,
teremos, então,
apenas uma boa noite.
se o beijo for de boa noite
para noite de lua bonita,
daí, a noite será
cheia de vida.
cri cri cri
grilinhos cantam
aqui ali acolá!
é hora de acordar!

precisamos comer mais livros.


respeito
é o que
precisamos
neste país
continente
cada vez mais
cheio de gente,
incontinentes.

ter peito
é o que
precisamos
neste país
diferente
onde se empobrece nas ribimbocas
e se ajuda
até nas europa,
onde teremos copa
e na cozinha
nada
com nado
desincronizado.

esporte aqui é
roupa suja
depois do racha
no campo de várzea.
e seus ministros?
suspeitos?
ongs parceiras de quem?
respeito!
precisamos é de dar jeito
nas poucas águas do sertão,
nas poucas terras pra plantação,
nas vidas perdidas em balas encontradas.
brasil brasil....
chega de discursinhos populistas
e de pujanças que enganam:
só aumentam mais esse abismo:
brasil rico,
brasil pobre.
precisamos comer mais livros.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

por que perguntar por quê?

por que perguntar por quê?
pra que se a resposta é óbvia?
por que saber o porquê?
pra que se tudo é nítido.
se perguntas, sabes a resposta:
porque
amo
te.

uma gestação de elefantes de proveta.


dezenove meses se passaram aqui
e ainda não me cansei de sorrir!
sorry, but nem pararei...
sinto esse sol em mim
e isso é o que me manda aquela luz,
que me dá aquela áurea feliz
de saber que essa data
é uma vitória.

em dezenove meses muita coisa pode acontecer:
uma viagem em torno da américa do sul,
uma pesquisa científica sobre a vida
das águas vivas,
uma gestação de elefantes de proveta.
só sei que, nesta data, querida,
abro escancarada a gaveta
que há em my heart.
você, que faz tanta arte,
pinta um novo sol
a cada novo dia.




terça-feira, 1 de novembro de 2011

é preciso caçar os urubus


estima-se que 80 bilhões de reais
são consumidos pelos urubus deste país anualmente.
estima-se!
tem coisas que nunca saberemos
porque urubu esperto lava tudo!
e leva nossa saúde,
nossas casinhas populares,
nossas ruas pavimentadas,
nossa água encanada,
nossa educação...
nossa dignidade.
é preciso caçar os urubus
e dar para eles muita carniça
porque é isso que eles merecem!

acompanhados.

ver-te
agora
é saber
que meus
olhos
estão bem
acompanhados.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

o lula agora para!


o lula fumou muito...
cachimbos,
charutos,
cigarros,
de palha,
de filtro,
light,
ultra ligth,
extra suave...
fumar causa câncer, logo,
o lula tem câncer!
bem na laringe.
não se engane
e nem se finge:
fumar causa câncer!
pare!
ainda há tempo!
você não terá um sírio-libanês
a seu dispor.
é SUS mesmo!
SUS!
só JESUS
na sua
causa!
pare!
ainda há tempo
de se livrar dos odores malditos,
dos dentes amarelados,
das tosses e pigarros,
da voz embaçada,
da dor de uma ida
esfumaçada.
o lula agora para!
e você?

nada de cotocos na ponta dos dedos!


um acidente horrendo aconteceu.
uma unha se quebrou.
como poderia ter acontecido?
lascada?
cortada?
roubada?
quebrada?
arrancada?
comida?
roída?
vai se a unha
e fica a vida.
e acidentes
acontecem.
isso...mais acidente bobo
e tudo voltará ao normal.
nada de cotocos na ponta dos dedos!


o que faz uma coca-cola geladinha?


o que faz uma coca-cola geladinha?
faz uma gatinha perder a linha.
mas não a faz perder confiança!
faz, quiçá, ganhar uns quilinhos
e vestir roupas d´outros linhos!
não!
nada foi jogado fora e nem esquecido...
apenas,
um refrigerante foi bebido.
dois ou mais...
bem! nem vem ao caso!
pois com você
me caso!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

abacaxis e paradas.


uma estrada em obras
e muitos homens trabalhando
nas sombras das escassas árvores
à beira dos canteiros.

um carro um ponto zero
em polvorosa:
corre! corre! corre!
eram 07h50;
era 08h00.
e corre! corre! corre!
um homem grande
se espremendo na frente,
dois homens que não davam
o homem grande da frente.
sai da frente!

calor!
luz vermelha!
alerta!
pifa.

beira de via
de onde víamos
as porteiras da cidade.

socorro!

vem e nos arrasta.
palestra e conforto
e, no motor, sufoco.

vocês vão e o carro fica.
carona pra ir embora.
suspense de uma semana.
e as facadas começam:
juntas queimadas,
cabeçote trincado,
e promessa é dívida.

enquanto isso
a professora atrasa
e as caronas se esquecem.

uma semana e pouco depois
volto à cidade.
era de manhãzinha
volto a tarde.

notas e choros.
desconto,
me apronto
do mesmo jeito
e vou-me
embora
pra minha
jerusalém
celeste.

na volta,
abacaxis e paradas.
fumaça??
e paro.
mais um pouco...
e paro.
água!
mais água!
nossaaa...
que saudades da minha!

mais um reboque
até outra oficina.
que sina...

mangueiras,
ponteiros,
dinheiros perdidos...
certos!
sujeira geral.
dia seguinte,
água e perfumes!
as coisas voltam
como de costumes!
como antes era, normal.

oficinas?
sinas?
estrada
mal acabada?
que nada!
eu quero é viajar
com a minha amada!

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

era na turquia.


a terra tremia de novo.
era dia.
era meio dia.
era na turquia.
pedras
e gentes se escondendo.
camas e sofás
para se refugiar.
a sina
de um lugar
propício
aos tremores de medo.