sábado, 27 de dezembro de 2008

Sua marca



Deixe sua marca enquanto pode
você também pode ser um artrópode.

enquanto o chão está limpo
meu índice há de vir.

vem, então, águas e ventos
e alguns - mais atentos -
veem que existe algo mais.

cintila sobre a areia do litoral
marcas de conchas e estrelas,
algas mais.

o farol reluz fazendo o perdido
se encontrar no feixe brilhoso
ainda assim a luz se perde no infinito.

deixe sua marca enquanto pode
porque o mal já fez muitas
e o que fica é oposto
-não o posto de combustíveis voláteis-
o oposto do contrário dos avessos.

Cisco

um cão perdido segue só.
mancando, despelado, triste.

Mas, ao ver seu dono, sorri.
Há muito era procurado!

Mas alguém, com o dedo em riste,
o põe pra correr...

Desengonçado, some novamente
aos olhos de seu dono.

Como?
Restam as saudades de um animalzinho desaparecido.
Cisco: o único cachorrinho que ria n0 mundo!

?


Ponto de interrogação:
trago-o marcado como marca de rebanho.
Persegue-me.

Ainda que me sejam claras as ideias
vem como rotina em minha infinitude.
Não sai após o banho.
(?)

Ronda os confins de meu cérebro
fazendo-o meio louco, às vezes.
As muitas vezes que vi-me normal
pude refletir sobre.

Clarão!
(?)
Clarão?
Deu um clarão na massa cinzenta!
Como se um dia nublado e chuvoso,
derrepente,
virasse um dia de sol ardente.

Mas continua a marca à ferro e fogo:
(?)
Persistindo em levar-me por aí.
E não aprofundeis muito nas ciências
deste mundo!
Ou ficarás num eterno devaneio.
(?)
Mais um pouco ainda e
(?)

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

mal tempo


O sol se pôs sobre as terras de lá
e aqui faz chuva.
Durante muito tempo, as condições climáticas
formaram as inspirações dos poetas.
A presença de nuvens, de neve, sol e chuva,
de pedras, de ventos, terremotos e maremotos,

tudo

fez a poesia acontecer.
Hoje temos pouco tempo para refletir sobre o tempo,
sabemos que time is money e isso interfere
- e fere -
a poesia como obra prima natural.

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Viva viva viva!


Erra a luz o alvo do Natal
nada hoje é mais natal
que a grana que me gastam.

gastos e mais gastos,
superficialidade
supérfluo,
super mam,
super coca cola!

tudo vem on sale
tudo vai no seio
do bolso do card
la plata és tudo!

salve ó deus money!
salve ó senhor deste mundo!
viva o glamour!
viva assim!

olhem ao fundo!
um pobrezinho numa manjedoura!!
mangedoura ou manjedoura?
comprarei-me um novo aurélio
neste Natal! viva viva viva!

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

louca pupila pula e rodopia!!!!!!!!!!


ser mais um cego em meio a muitos
que parecem enxergar.

ser mais um olho apenas.

uma pupila ensaia ser cega.
siga a cega para que ela não se descuide.

louca pupila pula e rodopia!!!!!!!!!!

um cego dirige em alta velocidade:
perigo à vista!

um cego ensaia uma leitura de saramago
e saramago é muito mais que um mago.
mago do novo acordo ortográfico da língua portuguesa!

língua da poesia, língua das possibilidades
e heteromínias!
dos verbos irregulares!
dos lares!
dólares?

bah! tenha dó!

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

com sapato eu te mato


é triste ver que milhares de inocentes iraquianos
foram dizimados em vão

quem falou que tínhamos bomba??
ahhh...na bucha:
há muito tempo o senhor tava de olho no nosso petróleo!

agora vem nos dizer que a missão é um sucesso?
antes não nos destruísse e causasse em nós a guerra civil!
nossos extremismos não chegam a tanto......

seu bush! tome meu chulé desértico!
tome minhas vestes ocidentais!
meu terno e gravata!
que eu vou pra lavoura!

com sapato eu te mato seu rato!
rato não!! cachorro!!!
ou mato ou morro!
corro não!
na bucha bush: cachorro covarde!!

afff! é duro ser repórter pra lá de Bagdá...

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Um dia, um novo dia, uma nova aparência:tudo bem!


Mais um dia ou menos um dia?
O espelho não guarda nossa imagem.

Ela se desprende para nunca mais depois daquele instante.


Mágico.
Um dia os belos olhos sorriem.
A planície do espelho

é como um oásis.

Vão se os dias e as noites.
A imagem brinca na sala dos espelhos!

Mas...

Algo é novo agora.
70 anos depois da juventude.

Espectativas de vida.

A beleza física é senhora deste chão.
Mas a beleza,

a beleza verdadeira,
essa não podemos ver.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

infinito amor!


infinito!

amor que nunca se acaba?

por que não se acaba?

porque é amor pra sempre!

EXISTE?

SIM!

olhe para o céu: o que vês?

uma nuvem de cada vez passa.


passa não...

tudo passa...

menos as nuvens:

elas vão e voltam!


ato infinito!

infinito ritmo!

das coisas do céu e da terra,

das coisas que respiram,

das que ressurgem,

das que não morrem simplesmente.


é um amor que nunca finda.

amor que não

existe só

na imaginação.


que nem só de pão vive.


que nem só de esmolas vive.


que só, não vive.


viva em mim amor então!

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Minha Santa Catarina do céu!


Do céu vieram muitas águas,
que se acumularam o quanto puderam
e depois, já repletas e escaldantes,
decidiram adentrar o vale.

Dos males o menor.
As águas encharcaram as encostas
e a terra ficou fragilizada.
As casas de base firme
passaram a ser mais nada.

Milhares de desabrigados:
brigados estão com Deus?
Falta água em meio a tanta.
No meio há tanta...
Faltam camas e agasalhos,
faltam baralhos para passar o tempo
instável e inseguro,
incrédulo, alguns recorrem a outros
santos, um que seja padroeiro das águas.

Alguns não tiveram tempo
em meio ao mal tempo,
ficaram.

Almas que sobem aos céus
donde descem as águas:
crianças, jovens, homens e mulheres,
novos ou velhos,
todos seguiram o trajeto
torto ou reto,
mas se foram.

Minha Santa Catarina do céu!

Brasil movido à solidariedade!
Povo solidário e bom!
graças à Deus!
É hora de cuidar dos que ficaram
com ou sem casa,
é hora de cuidar do meu irmão.

जेफ्फेरसों

terça-feira, 28 de outubro de 2008

barata obama


barata obama,
obama bin ladem,
barack ô cana,
obama osana,
obama russein!?.


ahh não ia perder
esses trocadilhos...
mas agora fez história
o primeiro negro
na casa branca
sem aparteid,
sem medo.
o que você fez pelos afro americans?
o que você fará pelos latin americans?

domingo, 26 de outubro de 2008

As pirâmides do Egito


As pirâmides: majestosas, suntuosas, viram tudo:
Até a visita dos imperadores do Brazil
nos idos do século dezoito...


A excelente aplicação de nossa grana, suada,
suando-os nos desertos longinquos da Mãe África.

i nóis? i nóis aqui...esperando água
até hoje!

O rato roda a roda


Quem inventou a roda
não imaginou que ela serviria
para tantas coisas:
Rodar as águas, rodar a gente,
rodar nossos sonhos e pesadelos.

O rato roda a roda!
E ele não quis isso!
E ele fica tonto,

e cansa!


Kansas: você sabe onde fika?
O rato é estimulado a rodar
para se alimentar, se não...
ele pode parar e morrer de fome!


Rodamos dia a dia pra todo lado
e somos como os ratos:
ou rodamos, ou morreremos de tontura!!

Guarda carros e outras coisas mais


guarda carros e outras coisas mais
basta que me deixem em paz

alguma coisa acontece em meu coração
sempre que cruzo a ypiranga com a avenida são joão

lá vem o guarda que não guarda carros
acho que vem me dá uns amarros

flanela na mão e no chão
panela vazia mais um dia

domingo, 19 de outubro de 2008

Uzômi verçus uzômi!


Hajam bombas!!
A guerra das polícias foi um sucesso!!
Dentre mortos e feridos salvaram-se todos!
KassabsSerras&Suplicys!


Bombas de gás lacrimogêneo,
bombas de efeito imoral,
balas de borracha e
tiros de verdade

nos pneus!


De verdade, também, são os salários:
parecem de mentira!!
Hajam motivos para outras saídas!
_Tá legal, eu aceito! Tá liberado e nome limpo!
Viva as puliças paulistas!!


Uzômi verçus uzômi!


Que alegria pros bandidos!
Que tristeza pra população...
E as autoridades competentes?
Continuam incompetentes.

Las touradas de madri


las touradas de madri!

ariba!!!
mais um touro se contorce
e sofre
e chora
es
braveja!

ariba!!!!
el torero se ilumina!
e crava-lhe a espada de folião!
el pueblo se enlouquece

(como animais...)

chora a vaca que pariu,
choram os bizerrinhos do papai,
el torero, el pueblo,
salvam à sangre e muerte
a tradição!

O Amor precisa ser amado


o que não fazemos por amor....

parece que nada fazemos por amor,

em tudo há interesses.


que amor passional é este?

que amor material?

que amor, que nada!?


não amamos por amor,

não cuidamos por amor,

não educamos por amor.


matar alguém e dizer que foi por amor

é execrar o amor!

comprar, comprar, comprar...

e dizer que é por amor

é deturpar o amor!

ensinar a pisar nos outros

é destorcer o amor!


o Amor precisa ser amado...



segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Paciência

Essência...
Sumo bem que
do Amor vem.

Consciência.
Voz de DEUS
que fala em mim.

Paciência...
Espere o começo,
o meio e o fim!

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

O Rio de Janeiro continua lindo


Morros nos morro.

Mortos de medo.

Mortos de tiro.

Balas amargas.


Balas e pirulitos!


Tiros no Alemão.

Trilhas da Rocinha.

Geral na Vigário Geral.

Chá das cinco.

Chacina.

Milícias.


Delícias!!!

Armem a tenda!!!


Tiros e mais tiros.

Me tirem daqui!!!

Me atira lá!!

Atira lá!


Palhaços e palhaças!!

O circo está armado!!


Armado até os dentes!

__ Amado Deus meu, que faço eu?


__ Fique calado!!


Tiros e mais tiros.

Gente rolando abaixo!

Fogo cruzado é mais fogo!

Gente no meio é mais um.

Gente do meio parece acostumada...

Gente do meio não tem pra onde correr...


Mágicos e domadores!

Malabares e corredores!!


Beco cheio de marcas.


Janelas sem vidros.

Olhos vidrados.

Olhos tristes.


País sem educação!

Rendas guardadas nos cofres!!

Rendadas por 1,99!!!


Olhos latejantes.

Lantejoulas nos tijoulos...


O engolidor de espadas faz mais um milagre!

Macaquinhos felizes e leões intrépidos!!

Zebras falsificadas e girafas do Paraguay!


El circo tá armado! Armed!!


___ Amado: Sofres calado?


Queria ser como Teseu: subir, subir, e depois... dêzeu!!


Gilberto deixa de ser ministro e vem cantar!!!

___ O Rio de Janeiro continua lindo!!

O Rio de Janeiro continua sendo!!!

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Rastros no acaso

Rastros no acaso
ficam onde passo

faço ondas na areia
fecho os olhos contra o vento

somem aos poucos as marcas
mas, as verdadeiras,
permanecem serenas
perenes,
eterno.

domingo, 17 de agosto de 2008

IMPOSTOS


Tudo que é imposto é ruim.
Tudo que é obrigado é ruim.
Posto à força em nossos bolsos vazios,
mais um imposto que vem da Homero,
do Liberdade, do Planalto.

Alto preço.

Obrigado! Obrigado por me tirar tudo!
Quem sabe, à força, todos nós viremos franciscanos?

Campeão mundial de impostos!
Mais uma vitória para nossa educação,
para nossa saúde, para nossa segurança!

___ Ahhh...não se iluda, criança!

Tem muita gente pra repartir nosso suor!
E pouca gente pra matar nossa fome!
Pra cuidar da gente! Pra educar nóis!

Mais uma partida e tudo bem!
Mais uma rodada e ok!
Mais um feriado e tudo está certo!

Imposto.
Tudo que é imposto é ruim.
Tudo que é obrigado é ruim.
Ahhh..se tudo fosse diferente,
se o que era da gente, voltasse pra gente!
Se o que nos parecia perdido, aparecesse!

Imporam que eu deveria pagar,

PAGUEI!

Dái a César o que é de César...

quinta-feira, 14 de agosto de 2008


Ossétia do Sul:
ainda não reconhecida.
Capital: Moscou.


Georgia:
República da CEI. Cei? Sei não.
Capital: Washington.


Mais algo?
Até quando??

domingo, 10 de agosto de 2008

ipê


sou um ipê


pode ser rosa mesmo

a cor rosa é linda

as folhas,


verdes,


quando amadurecem,

ficam rosas

ficam lindas

sou um ipê

mas que vive sempre florido


muitas estações

e as flores continuam

as mesmas

e se multiplicam

e fazem um tapete

na cor das pétalas


pessoas pisam nelas

e tanto faz pisar ou não

as marcas permanecem,

e amanhecem,

não esquecem,

aquecem.

corações.


ego


meu maior sonho não é meu

é um sonho para muitos viverem

para dormirem e acordarem em paz

para poder sentir novo

a vida que muitas voltas dá

para que possam olhar nos olhos

frente à frente

com dignidade

certos de que são preciosos

diamantes brutos

prontos para a lapidação

dia após dia.


um sonho que atende apenas

meus desejos

não é um sonho verdadeiro

não pode ser algo importante

não me faz realizado

não é sonho bom

é sonho de ego

ego

sonho bom é sonho que a muitos

realiza

que a muitos faz feliz

que assim também me faz.

segunda-feira, 21 de julho de 2008

É.
É segredo e ninguém pode contar.

Ixi... ninguém consegue guardar...
Como guardar um segredo?
Bem, contado, não mais é segredo!

Põe-o na gaveta!
Nas pedras de Diamantina!
( a Chapada!)
Na lua cheia!
No Mar Morto!
(morto não fala!)

Por que secaram as águas do Mar de Aral?

sexta-feira, 18 de julho de 2008

cerca




é cerca aqui,
é cerca acolá.
é cerca pra tudo quanto é lado.

cerca cerca o cercado,
cerca o campo sem gado,
cerca terra sem arado.

cerca tudo que se vê,
e onde seus olhos não alcançam mais.
daí vem o sujeito com a foice de lado.
e é baleado.

é tudo grilado.
sujeitos ocultos de ambos os lados.

pessoas quando partem deixam

pessoas quando partem deixam alguma coisa:
algumas deixam saudades,
outras lembranças.
algumas deixam dívidas,
outras, heranças.
outras, dúvidas,
outras, ainda, deixam nada.

pessoas que vão sem avisar
deixam incompletas suas missões,
outras, suas mansões.
algumas deixam esfriar
a sopa de mais tarde.

pessoas quando partem deixam alguma coisa:
deixam passos,
deixam espaços,
deixam abraços,
(talvez, nunca dados: pensados).

Deixam chão,
e pequeno chão os servem.
deixam amores,
amantes,
músicas incompletas,
poes...

sinfonia que se finda pra alguns,
que continua sem parar,
sem deixar que deixemos nada.

segunda-feira, 7 de julho de 2008

árvore da vida


ávores da vida

que nos dão sombra

à luz da água fresca.


raízes que buscam fundo

alimento precioso

que mudam em flores, folhas.


árvore minha que me gerou

pedaço de um sonho

parte de umbigo.


pousam em suas copas

moram mais perto do céu

árvore minha vida é.


domingo, 6 de julho de 2008

tempo pra romance


queria escrever um romance

quem sabe algo mais profundo

mas não sou diplomata

não me escondo nesse mundo

tempo tempo tempo antes que me canse


uma coisa é conseguir tempo

outra é ter tempo pra lançar no espaço - alvo

como o romance requer mais data

vou poetizando por aí

que poesia se faz todo dia

com poucas letras

se dá por satisfeita

mas deixa um que

de sem fim






aspereza e grosseria.

brutalidade e insensibilidade.

falsidade e intolerância.


descrição exata de animais.

de seres irracionais.

de gente mesmo:

materialismo e egocentrismo

fazem gentes assim.


mas os animais são bons!

são racionais e conseqüentes!

nós é que somos diferentes!


ahh...quem sabe amar vira bicho!

dócil quando tem que ser,

feroz...

quando precisa ser.

Ode ao GRANDIOSO

DEUS!

canto efusivo,

canto marcante,

canto insaciável,

canto que não se cansa de cantar!


amor explosivo,

amor constante,

amor afável,

amor que não se cansa de amar!


Onde, ó BONDOSO, repousas teus olhos agora?

canto com amor esta procura incessante de VIDA!





invariavelmente vou ao parque


onde habitam seres desconhecidos




parque aqui parque acolá


charlie parker vai tocar




bebop sons que ouço


osso duro de roer




trilho entre espaços parcos


espaços


porcos selvagens saem do nada


nadam como peixe fora d´agua




sax do parker bird parker


alçam vôo alto e tenor


com tramas


coltrane


bird


pássaros jazzistas do parque


sexta-feira, 4 de julho de 2008

Ingrid Betancourt


Mulher roubada.
Anos perdidos no meio da floresta amazônica.
Mulher adotada pelos franceses
como Joana D´arc.
Colombiana.
Latina.
Ícone de resistência,
troféu das Farc.
Devota da Virgem.
Ainda bem!
Sua fé te salvou!
Merecida liberdade!
Uribe que o diga!
Chavez perdió esta!

Morte por fome


Morte por fome.
Matam-me aos poucos.
São todos uns loucos!
Morte dolorida, sofrida, arrastada.
Matam-me e fingem não me matar.

Morte por fome.
Meu corpo, aos poucos, some.
Meu corpo se digere aos poucos.
São todos uns loucos!
Sistema de pujança.
Sistematicamente fingem não me matar.

Morto de fome.
Sumo na natureza.
Pareço nunca ter existido.
Desistido?
Nunca! A vida não me perdoaria!
Parte negra e desprezada.
Explorada à exaustão.
Gente escravizada.
Gente dizimada.
Que futuro melhor teria
com um passado ainda
tão
presente?

Ó abutre...
aos menos tu
não morrerás
como
eu.

domingo, 15 de junho de 2008

paúra

figura, em alta estatura
a feiúra de seus milhões
de pés de altura
distancia mais da baichura

no discursso torpe fura
na paúra que dá ouvir
mentiras sobre ditadura
dentadura escondida
que impede sorrir

mata e peleja
na luta de uma cura
que não vem
um nóbel
nobre jura

quarta-feira, 4 de junho de 2008

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Miamar e China

mais um ciclone sem amor
davastou Miamar.
Se não me amas,
deverias!

Miamar mistura
vento e mar.
ditadura, agora,
não deixa lavar.
(eles querem levar!)

mais um terremoto
derruba a China.
muralha? muralha não!
que essa não é qualquer coisa!

quantas noivas não se casaram...
quantos tigres se perderam...
quantos carros não chegaram...
terra e tremor,
tijolos e aço.


vida.

Tocha e Tibet

Por onde a tocha passa
arrocha!
passa o fogo
e... racha!

Tibet dos monges,
Dalai e cá!
querem ser livres,
querem voar!

lá vai a tocha pelo mundo,
em cada canto
grita um raimundo:
Queimem os grilhões já!

lá vai a tocha pelo mundo,
em cada canto tem um zé
que aspera sem cessar:
liberdade pro Tibet!!!

sexta-feira, 2 de maio de 2008

e agora somos os indignados...

"Bombardeamos Hiroshima e Nagasaki. E bombardeamos com armas nucleares muito mais pessoas que os milhares (que morreram) em Nova York e no Pentágono", disse Wright no domingo seguinte ao 11/09.
"Apoiamos o terrorismo (...) contra os palestinos e os negros da África do Sul, e agora somos os indignados porque o que fizemos se volta contra nós aqui"...

isso é poético vindo de um cidadão de lá.

Jeremiah Wright

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Isabella

Era bella?
isso sei porque toda criança é bela.
Era dócil e terna?
sim. assim que era ella.
Isabella.

Eram os pais ou outro alguém
os culpados da curta vida? curta queda.
fatal queda. era má a madrasta?
Ou não era ninguém?
Todos querem o que a gente pensa.
todos querem vender a fatídica história.
o tempo todo no ar, não cansa a imprensa
chega de lamento! a justiça Divina não tarda!

vamos!
que agora quero ver futebol.

domingo, 13 de abril de 2008

Deixo para Deus

Deixo para Deus
meu coração e minha alma;
à minha mulher
meus três pedidos
e meu sorriso;

À todos que amo
minha certeza de
um mundo melhor;
Aos irmão vermes,
o que restar;

Ao diabo??
Nem a unhinha do
meu dedinho mindinho
do pé esquerdo!!
Ósculos franciscanos
do Jack!

quarta-feira, 2 de abril de 2008

ESSE é o meu DEUS

um DEUS que sobreviva às tendências
que não se esvai no primeiro combate
ainda que ofuscado, permanece.

DEUS aparente em qualquer lugar
onde há vida gerada pela natureza
que trazem em si algo desconhecido.

DEUS que não se esconde dos inimigos
e que os encara olhos nos olhos
e os vence sempre
no eterno bem contra o mal.

ESSE é o meu DEUS!

quarta-feira, 26 de março de 2008

mal que fez, Benazir?
mal de ligar-se aos interesses
dos united states.

não foi a primeira e não será a última
pessoa que cede ao poderio
a américa latina, por exemplo, é um caso sério.

cobaias do bush
nos quatro cantos do planeta!
a terra tem canto? ( se aquieta!!)

a Benazir foi usada no paquistão
pra que isso seu saxão?
_ quero cuidar das índias!

Benazir Bhuttho...
até que cê era bunitinha...
paquistão, agora, só luto.

terça-feira, 11 de março de 2008

Guerras iugoslavas

As guerras iugoslavas
fizeram-me lembrar
dos terrores nazistas:

que povos podem ser melhores?
que terras têm seus donos?

muitas bandeiras e quase nada.
muitas cores e vida pouca.

campos de concentração para
os não-sérvios e afins. Já não era o fim?

triste fim das mulheres violentadas.
pena de morte pro Slobodan. Pena das mortes tolas.

Dresden 15 - 02 - 1945

Dresden.
hoje tratada com desdém.
dia 15 de fevereiro de 45
seus moradores sumiram
na fumaça das bombas
no fogo das bombas
debaixo das bombas.

Dresden.
não foi atômica.
mas doeu tanto quanto no Japão
mas se esqueceram de ti, Dresden!
hoje tratada com desdém.
por que era alemã?
por que era fábrica de pólvora?
era?

Desde Dresden
não víamos algo tão horrendo quanto
o Holocausto.
por causa do Holocausto
se cobristes de bombas.
por causa de londres
por causa de tantos...
é...
estavas em meio ao fogo cruzado.

domingo, 9 de março de 2008

Mais tempo me pedem as chuvas
para que acostumem-se as flores
para que acomodem-se as terras
para que se sustentem os barracos

Mais um barranco despenca.
para a gente contar os soterrados
para gente salvar os inundados
para gente chorar os afogados

Mais um ano se passou
para tudo se repetir
para, diante dos olhos, reprisar
para urubus mobilizados cantarem

E quantas vezes mais?
quantas forem necessárias
para satisfazer os maldosos
para matar os desprotegidos
para, com lágrimas, acostumarmos.

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

O céu do dia 22/02

No dia da Cátedra
as cidades se alegraram
pois, por muito esperaram,
a vinda de nosso Chico.

Nosso Chico chega Paulo
Cheio de Dons
Dom maior é o amor.
Por muito esperávamos!

Rápido! Corramos a ver!
Quem esperávamos chegou!
Um novo caminho nos espera!
mesmo que seja, a tanto, o mesmo.

Bem-vindo!
As ovelhinhas estão aí!
As branquinhas e as pretinhas!
TODAS te saúdam!

TUDO querer e NADA ter

beber toda água do mundo
e morrer de sede
enterrar-me com toda terra do mundo
e ter uma cova dígna
refrescar-me com todos os ventos da atmosfera
e ver minha casa ruir

TUDO querer e NADA ter.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Deus confia muito em nós

Deus confia muito em nós!
É esse amor que nos move
a sermos...a sermos um pouco...
um pouco melhores.

Um pouco mais e Deus
nos leva pra passear
em campos limpos
de vastos olhares.

Deus quer a gente feliz
e o coraçãozinho dEle se alegra muito
quando uma boa ação acontece
e Ele tudo esquece...

Um sorriso de Deus foi visto
logo após o sol do cerrado
se esconder das estrelas dalvas do céu
e brincar de pique-esconde...

e quando Deus nos vê tentando
fazer versos e mais versos,
Ele se alegra e não se aquieta:
Ele é o MAIOR poeta.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

A MORTE DO SUHARTO

O Suharto morreu.
Morreu depois de uma vida longa.
Depois de ter visto muitos morrerem.
Morreu Suharto e
não foi de infarto.

Morreu de falência múltipla dos órgãos.
Não como rato (por mais que tenha sido um),
mas como leão, o rei das selvas.

Morreu o ditador.

pobre ditador...

Morreu Suharto e
não foi de infarto.
Morreu
Ele que mais se enriqueceu com o dinheiro público!

E o público o ovaciona! E soltam foguetes!
Viva nosso Suharto!
Que triste história do Timor.
Trucidado pelo tumor malígno.

Não morreu como rato.
Não morreu de infarto.
morreu tarde.
vais
covarde.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

a criança que só chora

A criança que só chora
se desepera ao ver a fome chegar.
E entra em agonia quando vai embora,
que é amado e gosta de conversar.

mas tudo é no grito.
E parece não ter mais fim
a enfastiante dança das cordas
que curam pés, mãos e bocas num rito.

Que não se acaba com a despedida e
continua na labuta da vida,
em todas as vindas e idas,
em todas as vidas nossas.

PRAZO DE VALIDADE


76 mais ou menos
mais dores após aposentadoria
menos alegria antes vida de
sonhos desfeitos pelo turvo
do tempo que passa em alegoria
feliz de pessoas que nunca veremos

prazo para valer algo
para ser consumido e
não para ser perdido
data marcada em cada rosto/rótulo

momentâneo

que fica onde há alguém que os aprecie...
produto inacabado e bruto
que se acaba antes da descoberta
que, em tão breve, se cobre de luto

menos para ser vendido
mais para ser vencido
pelo prazo infindável de validade
validade eterna
códigos eternos e
prazo de validade que não vale nada.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

da janela vejo as nuvens

DA JANELA VEJO AS NUVENS...
cores abatidas e feias crescem-me:
muros antigos, desbotados e corroidos,
telhados tortos e desgastados,
postes empenados, ruas fragmentadas.
Tudo é cinza e descuidado
e um monstro eterno e silencioso
passa fazendo suas vítimas
e o coração dói...
Quer explicação e não a tem,
quer relógio mas incomoda o pulso,
quer o tempo mas ele não se deixa alcançar...
quer tudo e nada tem.

Quer sonhar e é só fechar os olhos.

SOMOS A GENTE QUE FUMOS!

O pequeno grande buraco cresce segundo o trato
e deslizam-lhe terras, pedras e outros substratos.

O pequeno grande buraco precisa de sustento
para que ele pare de crescer: ele não pode crescer!

O grande pequeno buraco ganha corpo e,
agora, buracão já pode ser denominado.

NÃO!

Cratera erosiva e desprovida de verde!

O grande pequeno buraco já está pronto para engolir
seus criadores.
Gente humanas e roedores,
todos surgem em uníssomo:

NÃO FUI EU, FOI ELE!
NÃO FUI EU, FOI ELE!
FOI ELE!
FUI ELE!
FUI NÓIS!
SOMOS A GENTE QUE FUMOS!

inspirado

Minha vida é uma poesia
Deus inspirado está a cada dia
fez-me ser alegoria de suas histórias
- alegrias -

brilham sóis e luas
fazendo poesias!
tremulam mares e ventos
fazendo poesias!
caem folhas e crescem ramagens
fazendo poesias!
cantam e se agitam bichos diversos
fazendo poesias!
nascem e morrem
fazendo poesias!

com exímia maestria
segue o Incansável e Inspirado,
fazendo poesias!

SORRIA!
Você é uma POESIA!