sexta-feira, 30 de abril de 2010

há uma história atrás dessas paredes


há uma história atrás dessas paredes,
há uma história atrás dessas roupas,
atrás desse seu olhar distante que procura dias melhores,
atrás desse caminhar torpe que nem sabe para onde ir.

há algo que desconhecemos pois as coisas, as estradas, as sujeiras, os nãos,
as violências, os preconceitos, os sims com ressalvas, as tristezas, os desempregos,
os vícios, as políticas, as forças armadas e desarmadas, as forças ocultas, os espíritos ruins,
as fomes, os frios, as cadeias, as doenças, as sedes, as tantas coisas que acontecem...não nos deixam ver, e servem-nos como tapa-olhos, como cegueiras consensuais, como brasa nos olhos...

há uma história atrá disso tudo, e é isso que queremos fazer:
conhecer a sua história,
dá um empurrão em seu destino,
e colocá-lo de volta aos eixos, ao abrigo das intempéries.

até que possa dizer, suspirando:

___Sou livre!

quinta-feira, 29 de abril de 2010

esse negócio de carne, sangues e peles

meus olhos secam você
como se fossem toalhas
que absolvem tudo tudo,
as pupilas parecem bilocas,
acrobatas e malabares dos olhos.

esse negócio de carne, sangues e peles,
essa coisa de chamar pelos nomes
poros e pêlos, arrepios e cabelos,
curvas e trejeitos,
tudo,
com todo respeito,
com o que
tu me dizes:
__Aceito.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

acho que vou na venda

mais uma noite e um dia
mais uma semana se passa
e o feijãozinho inda não brotou.

o que foi que fiz com a terra?
faltaram adubos?
matéria orgânica?
matéria morta?
minhocas?
cocô de vaca?
afinal: o que faltou pro feijãozinho??

tá tão feinho...
um teco de verde,
um pouco mais de luz?
de água?
de ar?
de...terra?

acho que vou na venda.

terça-feira, 27 de abril de 2010

desde o cordão umbilical


desde o cordão umbilical
havia algo mais reservado,
por mais que tenhamo-nos separados por alguns anos,
antes, éramos dois cordões enrolados.

noutras, sei lá, dimensões,
os cordões ficaram unidos por fino entrelaço,
e agora, aos poucos, um novo embaraço:
um reencontro de destinos traçados
para serem um cordão apenas.

e por este cordão a vida passa novamente,
e que venham todos os nutrientes,
todas as vertentes,
tudo que nos forma,
que nos faz melhores gentes.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

não se explica o que é bom

explique-me, então, como pode!
dois pólos positivos se atraírem???!!!
e se buscarem assim como que se desconhecessem
as regras do magnetismo???
não se explica o que é bom.

domingo, 25 de abril de 2010

paciência

paciência
é dom que requer
muita
ciência
para ser
compreendido.

um dom maravilhoso
há muito entre nós, perdido.

sua paciência é algo que me comove:
meu Deus? como pode??

fico agradecido
pelos tempos
perdidos e
também ganhados,
e que sejam, sempre, ao meu lado.

sábado, 24 de abril de 2010

a escravidão cultivou a brancura do algodão



há muitos anos atrás, no antigo Egito,
os derrotados e raptados de guerras
transformavam-se, sempre,
querendo ou não, em escravos.

homens e despojos, isso é o que eram.
e todos iam carregar grandes pedras
para fazerem grandes túmulos,
as belíssimas pirâmides do Egito.

na Grécia antiga,
a situação se repetia!
mas a classificação dos escravos era bem diferente,
e muitos até gostavam da servidão forçada,
era a força da democracia...

(será que existiu um dia??)

Roma.
com seu império,
servia-se de nações de escravos,
levados para construirem palácios e arenas,
grandes, pequenas,
e, ainda, era deleite de imperadores nas festas de gládio...

nas Américas, oh Américas...
a escravidão cultivou a brancura do algodão
nas mãos forçadas dos negros da Carolina do Sul,
cultivou tabaco nas redondezas de Havana
e extraiu muito ouro em Vila Rica, o ouro preto,
sem se esquecer do mascavo açúcar nordestino.

sina e destino,
hoje, a história se repete:
comigo.

preso na ternura de teus olhos,
na brancura de teu sorriso,
na suavidade de seus verbos,
na leveza de suas mãozinhas.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

que dia é mesmo?

o peso maior que carregamos
não está sobre nossos ombros,
fica na consciência,
que fala fala fala,
até que, um dia, sem querer,
se cala.

que dia é mesmo?

instinto

instinto,
é o que ajo,
o que sinto.

penso mas
não me existo,
branco e tinto
brinca com o que sinto.

ao sabor do vento
ou até quando aguento,
até que o sol poente
se esconda atrás de luzes.

é o que pode fazer-me arrependido
ou refazer a mesma trilha,
é o que me deixa confuso, perdido,
na deserta ilha
do pensar.

pegar a mesma nave,
voar para o mesmo lugar,
passar pelo mesmo entrave
seguir as mesmas direções,
mesmo que as palavras sejam,
apenas, nões.

instinto:
eterno aprendizado
do cérebro humano,
(exceto os que estão no formol),
e mesmo informal,
o meu segue rumano,
feito animal
que perdeu-se
de seu dono.
PROCURO-ME MEU DONO!


CONCEITO FILOSÓFICO DE INSTINTO

INSTINTO (gr. ; lat. Insttnctus; in.Instinct; al. Instinkt; it. Istinto). Um guia natural da conduta animal e humana não é adquirido, não é escolhido e é pouco modificável. O I. distingue-se da tendência (v.) pelo caráter biológico, porquanto se destina à conservação do individuo e da espécie e vincula-se a uma estrutura orgânica determinada; distingue-se do impulso por seu caráter estável. Existem duas concepções fundamentais de I.: 1ª a metafísica, segundo a qual o I. é a força que assegura a concordância entre a conduta animal e a ordem do mundo; 2ª a científica segundo a qual o I. é um tipo de disposição biológica.

terça-feira, 20 de abril de 2010

na saúde e na virose

olho em volta
e vejo que a luz
brilha mais em minha vida.

na saúde e na virose,
pra trocar o pneu furado, grite-me!
pra passear no parque, nem se esqueça de mim!
pra sempre! sem saber, que o pra sempre, nunca acaba.

porque há uma luz suave que nos cerca,
e nos faz melhores, pessoas boaaaaaaaaaaasss!!!

NÃO!

não podemos perder essa oportunidade linda!
não podemos, ainda
que coisas antigas pareçam também nos cercar.
o tempo leva embora tudo!
tempos bons, de sol e brisa;
tempestades, daquelas fortes
nos fins das tardes...

segunda-feira, 19 de abril de 2010

____Me dá logo esse macarrão!

Medusa marinara / Vick Muniz

ei ei!!espere um instante!
chame logo a namorada do palestrante!
parece que ela tem fome e não sei qual é o seu nome!

___Ãnnn??!! Mas, como assim? esse falsário tem outra?
___Ué, num sei não;;;
___Sou eu!
___Ihhh...nunca imaginava...

mas eu imaginava...
só não pensava que fosse tão bom assim...

____Me dá logo esse macarrão!

peça de um quebra-cabeça


parte de mim que faltava
faça em mim seu completo.

peça de um quebra-cabeça
de duas peças apenas.

música que se canta e toca,
de duas notas serenas.

dança que se faz bela,
com dois passos desconhecidos.

estradas que se encontram ao longe
depois de muitos passos a esmo.

peças que se justificam:
você e eu mesmo.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

vulcão islandês


o vulcão islandês solta suas plumas e paetês,
e todas as ruas e tetos,
de longe ou pertos,
fazem festas
e viram fregueses,
todos a
uma

vez.

há um imã entre nós

há um imã entre nós
de pólos que se pegam!
e para onde olho,
magneticamente,
volto-me para ti.

vida no campo: arar, plantar, colher

vida no campo: arar, plantar, colher.
ordenhar as vaquinhas pela manhãnzinha,
cuidar das galinhas e dos porcos, depois,
preparar o café da manhã, e, no dia seguinte,
fazer tudo de novo...

vida na cidade: passar em um concurso público bem rentável,
pagar para fazerem nossa comida, para cuidarem de nossas coisas,
montar um negócio e ganhar mais um montão de dinheiro,
esquecer das coisas todas e lembrar só do montão...

vida numa casa simples: trabalhar, ter as coisas básicas mas não ter uma cama,
cuidar também dos outros, dos pobrezinhos, ensinar as criancinhas,
comer o que tiver nas panelas, exceto carnes, quiabo, jiló e gariroba.

viver assim com você: assim que for melhor, assim que o Tempo quiser.
só assim que o Tempo quiser e sonhar.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

tum tum tum, tercetos,trum! trovões

de repente "eu amo você"
e tudo começa a brilhar em nossa volta,
e o coração se desespera,
e todo beijo, é pouco,
e toda resposta se afirma "eu te amo"...

tem horas que somos surpreendidos
e aí ficamos meio que perdidos
de tanta surpresa,
de tanta festa que se passa
no desesperado:
tum tum, descompassos, tum, disritmia,
tum tum tum, tercetos,trum! trovões,
tummmmmmmmm brisinha suave...

e novas possibilidades são despertadas
no meio desse tanto de confuso que bate
no alucinado e iluminado desesperado!

é vida!

é o sorriso que se desponta!
autêntico e sincero,
bem como gosto,
bem como quero.

terça-feira, 13 de abril de 2010

porque é insaciável isso que me toma!

se você me der um,
quero dois;
se me deres três,
quero quatro;
se cinco,
quero seis;
se sete,
quero oito;
se nove,
dez!

quero sempre mais
porque é insaciável isso que me toma!
porque cada gosto é novo nesse tudo renovo!

Socorrooooo!!! soltaram o Arruda!!!


soltaram o Arruda!
mas o ladrão de galinhas continua apodrecendo na fética cela.
pobre coitado...
numa sala que lembra Guantánamo, sem jornais, sem revistas, sem tv, por dois meses!!
a maioria dos brasileiros ficam muito mais tempo sem essas coisas, ó defesa!

Sem partido!
com o coraçãozinho partido,
ao som de puxa-sacos e das pessoas que ficaram sem os panetones!
ó, homens!

sem graça, barbudo, parecendo com o Saddan Russein ao ser capturado dentro de um buraco,
buraco no meio do deserto, na verdade, o que você precisava.
Cava!
o próprio buraco ao som do dinheiro público.
o Arruda está solto
e não oferece riscos às investigações "técnicas".
mui amigos...
réplicas:
queremos-te de volta!!!
socorooooo!!! soltaram o Arruda!!!
não quero panetones!
não quero estes mesmos nomes!
tudo continua igual,
no Distrito Federal.
meu Deus...
minha família tá toda lá...
cuidado gente!
soltaram o Arruda!
por quê?
o ladrão de galinhas continua apodrecendo na fética cela.
consolem o Arruda.
tirem a arruda das orêia que isso dá certo não...

você é um mimo que Ele me deu

graça.
você é uma graça.
dádiva.
você é uma dádiva de Deus.
mimo.
você é um mimo que Ele me deu,
é um cafuné no meu cabelo,
uma prova de que Deus é manero!

segunda-feira, 12 de abril de 2010

sinestesia

na foto: Sandeep Bodhanker

sentir todos os seus sabores,
provar todas as suas cores,
ver todos os seus odores,
dar nome aos seus poros.

viver
uma
sinestesia
dia
noite
noite
dia.

pensar coisas pra te falar
falar coisas pra você pensar,
te levar pra rezar o terço,
mas também pra dançar com um guru indiano.
(e morrer de rir do Kuchipudi com seus trejeitos)

fazer planos e desmantelá-los,
quebrar vidros e colá-los,
cola agora!
cole seus verbos em meus adjetivos!
tornemos-nos cativos
enquanto o elo
for apenas um:
isso tudo.

sábado, 10 de abril de 2010

a polônia se desgoverna como o avião?


o avião caiu na floresta
e as principais autoridades polonesas
morreram.
até a primeira dama.

a polônia se desgoverna como o avião?
as pessoas podem ser substituídas
e algumas, serão esquecidas para sempre.

o avião, será periciado e depois,
reciclado.
as árvores queimadas e destruídas
brotarão e, em alguns anos, a clareira sumirá,
com ela as lembranças de uma tragédia.

o Papa João Paulo II tá cuidando
de orar pelos seus.
e, com o andar das carruagens,
novas imagens
passarão pelas
janelas.

os poloneses estão acostumados
a dar a volta por cima:
por cima de tudo.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

quinta-feira, 8 de abril de 2010

como boca que procura um beijo


Alegria...
Satisfação em estar aqui...
Poder te ver de perto
Sentir e me preencher com sua presença
Com seu sorriso envolvente
Seu abraço forte, forte, forte.
Sensações diferentes...
Boas.. Maravilhosas...
Pesar... ter que ir e te deixar...
Saudades ficam escondidas no olhar.

troca de confidências...
sabe...
é algo impensável pra mim
pensar nisso de agora...
pareço mais uma criancinha
a espera de um colo acolhedor:
seu. o seu colinho...
mesmo ao seu lado sinto saudades!
estranho, né?
o que posso explicar pra mim?
a resposta está em você.
creio que só em você...
vamos esquecer o relógio!
jogar todos no fundo do mar!
para virarem relíquias!
para marcarem os peixinhos
com os ponteiros tortos...

quero te ter sempre ao meu lado.
você já me disse sem-pre.
SEMPRE.

S E M P R E . . .

lembra?
sempre que estivermos,
sempre será.
o sempre é este algo que está nos cercando
ainda com certa timidez....
mas, sei
tudo chega um dia,
desde um começo.

quero brincar com o alfabeto e começar um novo começo:
com A escrevo Amor;
com B escrevo Você;
com C escrevo Sede.

essa sensação de secura e uma vontade imperiosa de ingerir liquidos (Aurélio).

quero te caçar,
como boca que procura um beijo
sem vontade de parar,
vontades que só aumentam,
aumentam mais e mais
e cada dia é mais um
desafio de nos manter longe
mesmo que
por alguns instantes.

difícil deixar você ir...
mas você tem que ir
e fazer suas coisas,
organizar suas provas,
prestar contas,
pagar contas.
a rotina
que não quero ser,
mas quero tá no meio disso tudo.

cadim de tempo

cadim de tempo
é quase suficiente
mas...lamento:
cadim não é pra gente.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

MP rechaça votação na Câmara de projeto da mordaça


Notícia de jornal:

"O Ministério Público está tentando barrar na Câmara a votação do projeto de mordaça aos procuradores. Em encontro com o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), o procurador-geral da República e presidente do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), Roberto Gurgel, entregou uma nota técnica contrária ao projeto. O encontro faz parte do "Dia Nacional de Alerta contra a Lei Maluf.

De autoria do deputado Paulo Maluf (PP-SP), o projeto responsabiliza pessoalmente e com previsão de pagamento de indenização, o integrante do Ministério Público que supostamente agir de forma política ou de má-fé. Maluf é processado pelo MP por denúncia de corrupção e incluído recentemente na lista da Interpol, podendo ser preso em 188 países se deixar o Brasil".

Agora é comigo!!!!

O que fazer com o Paulo Maluf? O homem é o mais bem votado do mais desenvolvido e intelectualizado estado da federação!!!O homem foragido, denunciado, culpado, provado, no Brasil e em qualquer parte do mundo é o deputado federal mais expressivo de votos do Brasil (por causa de São PAULO!!!!!!Ôooo Santo forte!!!) O homem é líder do PP (partido do paulo) em São Paulo!!!!!O homem pode ser preso em qualquer outro país do mundo!!!!!!!No Brasil ele não pode ser preso##$@$$**(*%%%%!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Legislar por causa própria, ludibriar a lei, zombar da cegueira da dona lei, fingir que não sei?

Paulinho, vá até à Disneylândia!!!!!!!!!!Lá tem muitos personagens te esperando!!!!Ãnn...???






Rio de novo se torna mar


mais uma vez.
Rio de novo se torna mar,
e lamas de cachoeiras feitas
descem as escadas descompassadas do tempo.

há muito tempo.
a maior desde 1966.

muito tempo tiveram para cuidar disso.
o leite já estava derramado
e o cadeado arrombado.
mas, os cofres públicos também...
e o povo das encostas?pobres coitados.

as águas pluviais são assim mesmo:
caem com intensidade sobre a cidade
e sobre os campos e florestas.
sobre as aves, sobre os peixes (os menos afetados)
e sobre os animais, domesticados ou não.

e o Rio continua lindo.
com seus projetos sociais,
com as pinturas feitas nos barrancos
e as pessoas das favelas, aos trancos,
vão vivendo.
e do alto dos edifícios,
outras gentes vão vendo.
no alto do morro vê-se:
"vende-se"
morros de medo.

e as água não podem fazer nada, senão descer.

e as estruturas da cidade maravilhosa
cada vez mais conivente com os sobreviventes.
os barrancos ocupados,
os gabinetes lotados
e as políticas públicas,
cada vez mais íntimas.

e assim seguem os rios com suas vítimas.

terça-feira, 6 de abril de 2010

home sweet home

passa rapidinho...
e escute coisas rápidas!
fast food!

você é a flor escondida no alto de uma montanha bela!
é a flor que o indiozinho precisa conquistar primeiro,
para, enfim, a indiazinha possuir;
é a brisa leve que brota do atlântico
para a praia do flamengo de são salvador;
é a patchamama que traz coisas boas;
é a estrela dalva ao amanhecer no japão;
é um sanduíche recheado quando se tem muita fome;
é uma coisa que, de tão bela, inda não tem nome!
é quem me some! me dá fome! que faz de minha casa home sweet home!

educação aos cães


espaço meu:
complete-se.

pegadas minhas:
sigam-me.

cacas e coisas nojentas que veem das ruas
(ou do meu quintal) :
educação aos cães.

duas pessoas boas!!!!!!!

duas pessoas boas!!!!!!!
geeeeeeeeeenteeeeeeeeeeee!!
vocês vão mudar uberlândia meu Deus!!!!!!!!
que maravilhaaaaaaaa!!!!
que coisa lindaaaaaaaaaaaa!!
vão mudar as minas gerais inteiraaaaaaaaaa!!!!!!!

é como ver televisão e não dormir

de repente disse "amor".
sem querer e sem pensar,
falei "amor",

ai...! e agora? quando disser então:
___"Eu te amo"!
acho que vou te assustar!
impensável.

mandar nas emoções quando são fortes demais
é como ver televisão e não dormir,
ver um bichano pelo chão e não sorrir...

segunda-feira, 5 de abril de 2010

quero amarrar meu jeguinho em sua sombra


quero amarrar meu jeguinho em sua sombra
e deixá-lo descansar das cargas dos dias,
beber água fresca e transparente
sentir que nada é malogra,
que não é a sobra,
que só amor
pode ser
quente.

domingo, 4 de abril de 2010

passion

passion é em francês,
não em espanhol
como te disse aquela vez.

pasión está em espanhol,
mas,
não faz nenhum mal:
significados iguais.

ardor, estusiasmo, paixão,
coisas que quero cada vez mais!

Brasilidade


O meu país é a coisa mais linda do mundo!

paraíso preparado para os portugueses

deportados para punição,

para os negros livres da Mãe África

(aqui escravizados)

para os alemães, italianos, poloneses, albaneses, japoneses, chineses, árabes, bolivianos... e

gente que chega de todos os lados, todos os novos meses.



O meu país é lindo por natureza

e de beleza original!

vida que aproveitavam os nativos tupi-guaranis

e todas as tribos tupiniquins!

pena que quase todas tiveram fim...



meu país é uma incógnita.

é uma pergunta de muitas respostas,

sorrisos de muitas caras,

pés para todas as formas,

quitutes para todos os paladares.

meus olhos batem em seu céu e se apaixonam mais,

e meu coração bate mais forte por ainda não te conhecer.

O Brasil não conhece o Brazil,

o Brasil, S.O.S ao Brazil.



Planícies loucas,

montanhas macias,

buracos nas estradas,

entradas erradas,

morros tomados,

balas sumidas,

infâncias perdidas.



solidariedade,

carinho,

afeição,

luta sem fim,

menos buracos,

mais punição,

mais gente feliz,

mais praias limpas e rios de águas límpidas.

Brasilidade.




APRENDA!


APRENDA!
você é minha prenda!
há prenda nisso!
prenda-me!
você é minha prenda!
acenda-me!
a luz que estava apagada,
amena, dócil prenda.
não descanse
enquanto fores minha
prenda aprenda repreenda acenda!
e se apagar,
que seja quando não houver mais a luz,
quando não existirem mais águas e nem planaltos,
quando os planos vierem, apenas, dos altos...

sábado, 3 de abril de 2010

Chora guri...


Chora guri...
Chore a morte de seu paizão,
aquele que te mostrou a canção,
morto pela imbecibilidade humana,
visto pela impunidade impune.

Chora anjo negro...
chore com seu violino à tiracolo,
com suas lágrimas sinceras,
de gratidão tomadas,
de dor invadidas.

Chore anjinho...
chore pelo Evandro João,
pelos ladrão,
pelos fardados,
pelos mal amados.

Agora? Agora descanse também...
que este mundo é ruim demais pra você.
Vá! Vá enfeitar os céus com sua música!
Encantar os outros anjos,
vá encantar seu Criador!
Que este mundo é ruim demais pra você...
E você? Você foi bom demais pra sofrer as dores das maldades humanas...

Chora guri...
Quero chorar contigo a sua dor,
quero ser invadido por este desejo de mudar este mundo,
o mesmo que invadiu o João,
que entorpece de tanto amor o Afroreggae.

Vai guri!
Segue!
E faz uma melodia gostosa pra nós aqui da Terra!
Vá! Encante-nos sempre!
Com seus sorrisos,
com suas lágrimas,
com a esperança de um país melhor,
de um futuro mais bonito,
de um canto que se prolongue
e se encha com as batidas dos coraçõezinhos...

Adeus guri!
Faça-nos, agora, sorrir!
Diego,
de curta vida,
sem segredos,
com seu olhar negro
comove-nos,
com sua despedida
dessa vida,
ensina-nos.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

fique no meu caminho!!


fique no meu caminho!!
não saia não...
fique como a pedra do poema!
fique!!simplesmente, fique!
Nunca me complete!
Nunca me sacie!
para que eu possa querer-te mais, e mais, e mais oh pequena!

vai ficando como quem não quer nada,
como quem que não se preocupa com a volta.
___Fica, vai!
me assuste! me confunda! me faça rir! chorar! mas... fique!
___Sai não!
fique como a pedra do poema!
fique!!simplesmente, fique!
Nunca me complete!
Nunca me sacie!
para que eu possa querer-te mais, e mais, e mais oh pequena!

quinta-feira, 1 de abril de 2010

fábrica de alegrias

fábrica de alegrias,
indústrias de felicidade!

confecções de corações,
linha de montagem de esperanças!

capital que faz mal
e bem.

e bem que poderiam dividir seus produtos.