domingo, 31 de maio de 2020

agora...caso algum ministro do supremo desapareça até o fim de 2022...


notícia de jornal e da live do presidente, não necessariamente nessa ordem:

"Na quinta (29), em sua live semanal no Facebook,
o presidente disse esperar que ninguém no STF ´desapareça`,
mas caso surja uma terceira vaga, Aras poderia ser indicado".

ao dispensar o nome da lista tríplice,
escolhida entre todos os procuradores da república,
para indicar augusto aras, bolsonaro não escondeu suas intenções:
fugir de processos e fazer o que quiser na presidência.

dito e feito!

ele diz ao aras o que ele deve fazer para protegê-lo
das garras da oposição, da justiça e do bom senso,
e o funcionário cumpre as ordens.

para esclarecer um pouco mais sobre o processo que envolve a elaboração da lista tríplice,
voltemos, rapidamente, a esta reportagem publicada na semana da indicação do aras:

"A lista tríplice é o resultado de uma eleição interna do órgão, que sugere três nomes para que o presidente da República possa escolher, dentre eles, o próximo PGR. Apesar da
afirmação dos procuradores de que esta seria uma ´tradição constitucional`, a obrigação não consta na Constituição.

O costume de nomear um nome da lista tríplice para o cargo começou com o então presidente Lula (PT), quando em 2003 acatou pela primeira vez um nome dentro da lista para o
cargo. Desde então, tanto Lula no seu segundo mandato, quanto os demais presidentes que vieram, seguiram esta indicação.

Para se candidatar ao cargo e ser indicado pelos membros do MPF, o candidato precisa ser membro de carreira da instituição, estar em atividade e ter mais de 35 anos. A votação
é secreta e os procuradores podem votar em mais de um nome.

Após o resultado, a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) encaminha os três nomes mais votados ao presidente da República, do Supremo Tribunal Federal, e
aos presidentes da Câmara e do Senado. Também recebe a lista tríplice o PGR em atividade e o Conselho Superior do MPF.

A indicação de Aras na semana passada gerou muita polêmica e duras manifestações dos procuradores. A lista indicada pela ANPR para o cargo que a atual PGR Raquel Dogde,
deixará vago no dia 17, é composta por Mário Bonsaglia, Luíza Fricheinsen e Blaul Dalloul.

Em nota, os procuradores afirmaram que a nomeação de Augusto Aras, ´menospreza, também, o princípio da transparência, na medida em que os candidatos da lista tríplice viajaram
o país debatendo, publicamente, com a carreira, a imprensa e a sociedade, os seus projetos, as suas ideias, o que pensam sobre as principais dificuldades e desafios da nossa
vida institucional`, justifica a nota.

Para os procuradores, o nome de Aras não apresenta a autoridade necessária para ser PGR. ´Não possui, ademais, qualquer liderança para comandar uma instituição com o peso e a
importância do MPF`, afirmam."
(https://congressoemfoco.uol.com.br/judiciario/escolha-do-pgr-entenda-como-funciona-a-lista-triplice-do-mpf/)

a terrível fala do presidente em sua live semanal escancara seus planos,
e muita gente do bem acha isso lindo.
em outras palavras, o presidente deixou clara a barganha
ao seduzir seu procurador exclusivo com uma possível vaga no supremo,
tática esta já testada com moro.
teoricamente, duas vagas surgirão no mandato do presidente,
ambas por aposentadoria compulsória ao completarem 75 anos:
celso de mello neste ano e marco aurélio ano que vem,
respectivamente, indicados pelos presidentes josé sarney
e fernando collor.

agora...caso algum ministro do supremo desapareça até o fim de 2022...
a vaga será do aras.
ter usado um suposto eufemismo para palavra morte
já foi uma fala extremamente infeliz por parte do presidente.
se algum ministro morrer, tipo, um alexandre de moraes
cair de uma rede, bater a cabeça e vir à óbito,
bolsonaro será o principal suspeito,
depois, o fabricante da rede.

se ele não tem a mínima noção do risco das palavras,
quanto mais dos efeitos das suas atitudes.

vou aproveitar este texto onde rememoro
ações de um passado recente do presidente,
para enaltecer a honrosa homenagem feita
para o exemplar funcionário, augusto aras:

o procurador geral da república recebeu a belíssima comenda da ordem do mérito naval no último dia 29.
a tradicional homenagem existe desde 1934 e é oferecida aos militares que se destacam nas corporações
do brasil, mas também a membros da sociedade civil.

o interessante é que o ministro da educação, abraham weintraub, também recebeu a homenagem.
vale lembrar que weintraub responde a um inquérito aberto pelo supremo tribunal federal,
a pedido do nobre senhor augusto aras,
por ataques feitos à china nas redes sociais.
tal fato aponta que, ao menos em parte, o aras merece a homenagem,
mas, certamente, bolsonaro não teve tempo para pensar nisso,
afinal, um raciocínio pífio já o caracteriza muito bem.



sexta-feira, 29 de maio de 2020

o brazão da cbf está se transformando em símbolo de ódio e de intolerância.


no começo da semana presenciei uma cena que,
teoricamente, seria normal, se não fosse
o iminente risco de um atropelamento
que seria fatal, caso acontecesse.

uma jovem senhora, branca, loira,
trajando uma calça suplex verde,
camiseta da seleção brasileira de futebol
e uma bandeira do brasil amarrada ao pescoço,
caindo feito uma grande capa do batmam, só que verde e amarela.
além de toda alegoria, supostamente patriótica,
ela empurrava um carrinho de bebê mas...
no lugar de um bebezinho,
dois cachorrinhos, por sinal,
muito fofinhos.

ela se aproximou da faixa de pedestres
ao lado de um casal que também aguardava para seguir.
o local, nada mais nada menos que uma das avenidas mais
movimentadas e perigosas da cidade de uberlândia-mg,
a rondon pacheco.
inclusive, recententemente,
um jovem foi atropelado na faixa de pedestre
e morreu.

a jovem senhora, não sei se esse é o termo certo,
"jovem senhora",
ela parecia ser jovem mas, talvez... pelo olhar rancoroso,
me fez perceber mais idade, sei lá.

bem, o sinal estava verde para os carros e ela começou
a enfiar o carrinho com os cães faixa adentro.
o casal ao lado deu uma afastada.
de onde eu estava gritei para que ela aguardasse,
afinal, era a rondon.

que nada!

ela entrou no meio dos carros e um veículo
que seguia em alta velocidade começou a frear.

um carrinho de bebê assusta todo mundo!

o motorista passou meneando a cabeça,
o casal que estava perto ficou estupefato.
seria uma suicida?
não...certamente não era o fato.
mas eu, do meu canto, pensei:

o que será que esse figurino representa?
ao que tudo indica, uma pessoa,
quando veste uma camiseta da seleção
e bota uma bandeira do brasil nas costas,
se transforma,
não em torcedor de futebol,
mas em uma coisa que está acima das leis,
da realidade, da consciência humana.
se coloca em risco como a jovem senhora,
que também colocou em risco os animais,
e sai atravessando uma avenida perigosa
como se estivesse só ela na via,
jogando a responsabilidade da própria vida
nas mãos dos motoristas.

não obstante, os apoiadores do presidente
bolsonaro, que se vestem de verde e amarelo
e se entregam aos prazeres do ídolo deles,
são capazes de ameaçar até os ministros do supremo,
tudo para acariciar o ego do chefe.

aquela jovem senhora me assustou.

talvez se estivesse com uma roupa
diferente não teria feito o mesmo.
a impressão que tenho é que os seguidores
do presidente tem prazer em ser politicamente incorreto.

chove nas redes sociais pessoas se recusando a usar máscara
em lugares fechados, se aglomerando em festinhas,
quebrando a quarentena, fazendo a festa, fazendo carreatas,
fazendo majestosas manifestações contra a pandemia
e contra a democracia, ostentando armas
e dando publicidade aos xingamentos.
se recusam a ceder ao que é justo e correto
para se sentirem a própria afronta do sistema.
parecem sentir um prazer estranho nisso.
já vimos gente comer capim e dizer que é gado do bolsonaro,
além de sujeitos que urram palavras de ordem como se estivessem
tomados por alguma entidade, tipo aquelas que a gente vê
em programas religiosos madrugada adentro.
nesses casos, uma camiseta da seleção brasileira é mero detalhe.

aliás, que dia a cbf vai se pronunciar
em relação ao uso equivocado do símbolo do futebol brasileiro?
o brazão da cbf está se transformando em sinal de ódio e de intolerância.
creio que, nisso, poderiam agir.

essa tolerância da cbf deve ter um preço,
não por acaso, a cúpula do futebol
brasileiro vive em seus palacetes,
nadando em dinheiros.
os futebolistas ganham milhões
bancados por amantes insaciáveis.

tanto faz.

a bandeira do brasil, apesar de brilhar em cores
nas manifestações, perde espaço para a bandeira dos EUA
ou de israel, ou seja, tanto faz também.
esse negócio de pátria, deus e família,
tão defendido pelos amantes do presidente,
e, supostamente, por ele,
é uma grande incógnita:

que pátria??
só se forem os eua.
que deus?
o deus dinheiro? marte? o deus da guerra?
que família?
de relacionamento tradicional etc e tal,
é notório que o senhor presidente não entende.
o que defendem então?

que a jovem senhora tenha encontrado o seu caminho
e que seus filhotes estejam bem,
com a graça e misericórdia de Deus.







terça-feira, 26 de maio de 2020

os robozinhos não se cansam de perguntar


os robozinhos não se cansam de perguntar:
__cadê o papa?
__cadê a greta?
__cadê o macron?

por que se calaram?
era só a amazônia?

o papa está no vaticano,
em oração por nós
e, sobremaneira,
envolvido com a violência
da covid-19 na itália.
mesmo assim, fez questão
de ligar nos desejando
força nesse enfrentamento.

a greta continua ali, firme
em sua luta contra os destruidores
do meio ambiente.
menina prodígio
que, em sua pequena caminhada terrena,
já fez mais que um ex-deputado brasileiro
que se pendurou por 28 anos em brasília
numa odisseia sem resultados.
certamente, a nossa guerreira viking está
enfrentando a quarentena
em seu país, um dos mais afetados pelo
terrível vírus.

o macron não é o presidente francês?
ele está se dedicando o máximo
que pode no enfrentamento a pandemia,
evitando aglomerações:
usando máscara adequadamente,
dando bons exemplos para o seu povo.
tem feito um esforço tremendo
para que os franceses superem
os impactos do novo coronavírus.

e aqui?
nossos robozinhos se aglomeram,
pedem cloroquina no café,
pedem a volta da ditadura
e passam muita vergonha.
na mesma linha segue o líder.
inclusive, você viu?
a amazônia teve um desmatamento recorde
no último ano!
parabéns aos envolvidos.


domingo, 24 de maio de 2020

gente!! o que foi aquela reunião??


Photo by Marcos Correia / PR
gente!! o que foi aquela reunião??

o chefe cerra os punhos e bate forte na mesa,
fazendo a xícara de café tilintilar.
aos gritos, disse que não aceitaria
que fudessem com a família e com os amigos dele,
depois gritou que interferiria na paula fernandes.
aos berros, disse que seu sistema particular de informações privilegiadas,
funcionava melhor que a coisa oficial.
que sistema é esse?
foi um prato feito pro moço da justiça que,
mudando de assunto, disse que queria mudar o mundo.
o ex-juiz estava, o tempo todo, se esquivando das diretas, indiretas,
torpedos, tuítes e stories.
o chefe, nesse momento, olhou pra ele,
fuzilando-o com seus olhos cor de breu.
não adianta fugir:
se ficar o bicho pega,
se correr o bicho come.
sua biografia já era e sua senhoria nem sabia.

o caseiro civil inicia e disse que poderia ter uma
pauta, o plano era o pró-brasil.
__pó brasil? questionou o rapaz da segurança.
__pau brasil? questionou o raparigo do meio ambiente,
já querendo mandar mais madeira pra portugal.

o caseiro civil falou...falou...falou...e não disse nada.
lembrou do plano marshall etc e tal,
foi brecado pelo homem da economia,
este não aprovou o plano do truman.

por falar em meio ambiente, o rapaz da pasta também
cogitou afrouxar as leis ambientais
enquanto o mundo chora os mortos pela covid.
que plano mirabolante!

o lorenzetti falou em lavada de dinheiros,
obras paradas e sobre a histeria do ebola.

o militante da educassão se inflama e diz querer mandar
os vagabundos do supremo pra cadeia.
depois disso, fica atordoado, quase sem palavras,
e murcha.
com os olhos lacrimejantes,
olha para o capitão
e diz que o ama.

o ego do senhor marinho,
diretamente da pasta do desenvolvimento regional,
e não da tv arqui-inimiga do governo nacional,
teve a fala mais sensata da grande amálgama:

"O que eu peço é que nós tenhamos aqui as mentes abertas.
E que os dogmas, quaisquer que sejam eles presidente,
sejam colocados de lado nesse momento".

depois disso, o cabra da economia mandou aquela indireta
dizendo que tem ministro querendo aparecer.
quem ta na economia late ou mia,
por isso, latiu dizendo ser necessário
vender a porra do banco do brasil.

já o presidente da caixa afirmou,
com todas as letras e números,
que não iria ajudar quem já estava quebrado antes da pandemia.
ou seja, cerveja.
também se mostrou indignado com infratores no camburão e,
quase chorando, disse que pegava a sua coleção de armas
e dava tiro na geral.

o dono do bnds disse que faz da fala do fanfarrão do meio ambiente,
as suas.
???

o rapaz do banco do brasil disse que é dono da porra toda.

o companheiro das relações exteriores não escondeu a sua predileção
de se relacionar com quem paga menos
e ainda tascou uma nova ordem mundial,
termo este que assusta as pessoas paranoicas
com esse tipo de pensamento conspiratório.
por favor, passem o endereço do sanatório!

a cinderela dos direitos humanos afirmou,
categoricamente que, nunca antes na história desse país,
houve tantas afrontas aos direitos humanos:
1 - direito humano de ir à praia;
2 - direito humano de ir ao shopping;
3 - direito humano de burlar regras;
4 - direito humano de se prevenir;
5 - direito humano de ter vida.

o novato da saúde abre a boca para falar
alguma coisa, dá uma tossida e deixa quieto.

o vice chefe segura um riso.
parece querer dizer algo, tipo,
soltar uma gargalhada presa
ou uma flatulência.
seguindo o mesmo caminho lexical,
o cacique chama os governadores
presidenciáveis de merda e estrume.
são adubáveis?

as palavras da presidência:
merda, estrume...cocô!
é o vale tudo da excremência!!

ao ouvir que alguém teria dito cacique,
o bonachão da educassão externa
que não gosta de índio e nem de cigano,
mas, que para o cacique, passa o pano.

do outro lado, talvez no mundo da lua,
o nosso astronauta das ciências
tenta achar um jeitinho de revelar,
a todos ali presentes que a terra,
mesmo que tudo prove o contrário,
é quadrada e não plana,
como informado pela imprensa.
pensa numa fala conturbada.

um pouco mais, um pouco menos,
todos tinham até 10 minutos para explanar sobre o pró-brasil,
mas a coisa fugiu da pauta
e tivemos de tudo um pouco,
de excrementos à puta que pariu.
linguajar de militar e gente de igreja é assim mesmo.

no mais do mesmo, o chefe exige que a turma toda saia em sua defesa,
que critiquem as pessoas e instituições
contrárias ao plano do governo,
que deem a cara à tapa, que batam e apanhem,
que sejam, politicamente, incorretos.
quem não for capaz, devido uma possível preservação da imagem,
que vazem!
se ele cair, cai todo mundo!
quem de vocês seria ministro nou´tro governo??
não tá errado não!
ninguém seria ministro numa situação civilizada!
se é pra ser um governo muito louco,
que todos sejam loucos!
sem essa de sanidade e palavreado polido!
bota pra fudeeeeeerrrrrr!!!!

o ministro da secretaria de governo,
flagrou uma olhada do dono da bola
em direção ao general heleno mas...
nas imagens, percebe-se que,
os olhos vão para um lado mas o pescoço para outro.
pra quê mentir, seu moço?
mentir te faz pequeno.

o clima ficou tenso!
é preciso se adequar aos novos tempos.
vamos esquecer essa coisa que tá matando
mil brasileiros por dia,
e viver como se não houvesse pandemia.
vamos combater as provocações políticas,
sigamos firmes com as alianças com o centrão.

deixar de apresentar os exames
do presidente é fichinha.
isso jamais poderá ser motivo para pedido de impeachment,
tem coisa mais cabeluda,
tem prego nesse angu.

bom, depois da liberação da íntegra do vídeo
pelo ministro do supremo,
tem uma leva de apoiadores dizendo que, agora,
quem deu tiro no pé foi o moro,
que o vídeo não prova nada,
que só deu mais notoriedade ao presidente,
que ele se mostrou lindo e verdadeiro,
que ele não tem dinheiro na suíça,
que não tá aí pra encher linguiça,
que se reelegeu com esse vídeo.

acalmem-se!

infelizmente,
tem muita coisa pela frente.
vamos cuidar da saúde nesse momento
porque a saúde é prioridade.
deixem que a justiça prossiga com as investigações mas...
sem interferências.

o terreno está pantanoso e os dias são de neblina.
atualmente, a américa do sul é o epicentro da pandemia
e nós somos os mais afetados.
vai dizer que isso não tem nada a ver com a gestão atual da saúde?

tudo a ver!

os desmandos no ministério da saúde impactaram,
duramente, no enfrentamento ao vírus.
o foco na cloroquina,
a troca de ministros,
a desarmonia entre estados e a união,
tudo isso fez o país estar,
em vários pontos, colapsado!
depois que isso tudo passar
vamos ter noção do que foi essa reunião.
enquanto isso, é hora de unidade.
precisamos de uma trégua na política
para tentarmos um caminho sensato,
que salve vidas,
que salve a economia,
que nos salve no juízo final.
sem juízo não dá pra ficar.






sábado, 16 de maio de 2020

essa mp 966 é uma espécie de excludente de ilicitude do presidente.


Charge em homenagem ao massacre de Eldorado dos Carajás | Carlos Latuff

não é sobre a substituição de um ministro,
é sobre o conflito ciência X bolsonaro.
ministros vem e vão conforme os interesses do centrão,
mas neste caso em específico,
a pasta da saúde em plena pandemia,
o buraco é mais embaixo.

o presidente quer o comércio a todo vapor,
a ciência diz que isso é péssimo
para a contenção do vírus;
o presidente quer a cloroquina liberada pra geral,
a ciência diz que essa não é a melhor opção;
o presidente quer juntar seus apoiadores em manifestações,
a ciência diz que aglomerações facilitam a contaminação...

fica difícil comandar uma pasta que está sendo tão exigida
e, ao mesmo tempo, agradar o capitão.
o que fazer então? troca!
em cada troca, um recomeço e,
nesse meio termo, mais algumas milhares de vidas perdidas.

percebendo os erros grotescos que tem cometido
para agradar seus seguidores,
gentes que compõem o curral eleitoral do presidente,
de repente, surge a mp 966.
vejamos a notícia por aí:

O presidente Jair Bolsonaro editou nesta semana a Medida Provisória 966, que diminui a responsabilização de agentes públicos por atos relacionados ao combate à epidemia da Covid-19.
A normativa exige a presença de dolo ou erro grosseiro para que agentes públicos sejam responsabilizados nas esferas civil e administrativa por ação ou omissão nas medidas de combate ao novo coronavírus ou na mitigação dos efeitos econômicos causados pela epidemia.
A medida foi vista por especialistas como uma tentativa do governo se eximir de responsabilização por falhas e já vem sendo questionada no Supremo Tribunal Federal. (conjur.com.br)


De acordo com o texto, o profissional só poderá ser responsabilizado, nas esferas civil e administrativa, se houver dolo ou erro grosseiro, praticado com culpa grave, “com elevado grau de negligência, imprudência ou imperícia”. O texto trata das ações ou omissões no enfrentamento da emergência de saúde pública e também de combate aos efeitos econômicos e sociais decorrentes da pandemia de covid-19.
A medida destaca que deverá ser levado em conta, para constatar o erro grosseiro, "o contexto de incerteza acerca das medidas mais adequadas para enfrentamento da pandemia" e de suas consequências, inclusive econômicas. “O mero nexo de causalidade entre a conduta e o resultado danoso não implica responsabilização do agente público”, diz o texto.
Os obstáculos e as dificuldades reais do agente público, a complexidade da matéria e das atribuições exercidas, a falta de informações na situação de urgência ou emergência e as circunstâncias práticas que houverem imposto, limitado ou condicionado a ação ou omissão do agente público, também deverão ser considerados. (agenciabrasil.ebc.com.br)


Segundo a MP 966, os agentes públicos só poderão ser responsabilizados nas esferas civil e administrativa se agirem ou se omitirem com dolo ou erro grosseiro pela prática de atos relacionados, direta ou indiretamente, com as medidas de: enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente da pandemia da covid-19; e combate aos efeitos econômicos e sociais decorrentes da pandemia da covid-19.
O primeiro parágrafo da MP informa que "a responsabilização pela opinião técnica não se estenderá de forma automática ao decisor que a houver adotado como fundamento de decidir e somente se configurará: se estiverem presentes elementos suficientes para o decisor aferir o dolo ou o erro da opinião técnica; ou se houver conluio entre os agentes. Segundo a MP considera-se erro grosseiro "o erro manifesto, evidente e inescusável praticado com culpa grave, caracterizado por ação ou omissão com elevado grau de negligência, imprudência ou imperícia". Há, no entanto, a ressalva de que serão considerados na análise da ocorrência do erro fatores como: os obstáculos e as dificuldades reais do agente público; a complexidade da matéria e das atribuições exercidas pelo agente público; a circunstância de incompletude de informações na situação de urgência ou emergência; as circunstâncias práticas que houverem imposto, limitado ou condicionado a ação ou a omissão do agente; e o contexto de incerteza acerca das medidas mais adequadas para enfrentamento da pandemia da covid-19 e das suas consequências, inclusive as econômicas. Além de Bolsonaro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o ministro da (CGU) Controladoria-Geral da União, Wagner de Campos Rosário, assinam a medida provisória. (noticias.uol.com.br)

essa mp 966 é uma espécie de excludente de ilicitude do presidente.
vai vendo.

segunda-feira, 11 de maio de 2020

afinal, robôs nunca saberão o sentido da palavra empatia.


chegamos ao impressionante número de 11.000
brasileiros mortos pelo novo coronavírus.
nada, absolutamente, nada a se comemorar.

o brasil já possui mais mortes que todos
os óbitos registrados na américa do sul.
já somos vistos como uma ameaça.

quando decidimos fechar nossas fronteiras
terrestres, nem precisava mais disso,
todos os nossos vizinhos já haviam
tomado essa providência.

um diferencial que os demais países sul-americanos tem
vem da presidência: nenhum desses governos é negacionista,
ou seja, acreditam no potencial de destruição
que a covid-19 causa no sistema de saúde
e, consequentemente, nas pessoas que não conseguirem
um atendimento.

no brasil, o presidente é destaque mundial
pela sua atitude contrária às determinações
dos órgãos de saúde.
nem aí pra oms quanto mais
para as organizações e conselhos nacionais,
que tem experiência no assunto.
despachou o ministro por mero ciúme,
percebe-se que o novo ministro da saúde
é de poucas palavras, quase não aparece
em coletivas, a orientação é não repetir o filme.

se ele aparecer demais talvez alce voo,
aí haverá de ser substituído por alguém do centrão.

por falar em centrão, o estigma que corrompe esse grupo
político no congresso é a barganha.
trocar apoio ao governo por cargos e emendas.
esta é a cara da velha política,
tão criticada em tempos de campanha
por bolsonaro e sua equipe.
ai que vergonha!!
estão beijando o centrão!

enquanto os brasileiros são vencidos pelo vírus,
o presidente lança um churrasco no planalto.
no começo, para trinta convidados, depois setenta,
cem, mil, mil e trezentas pessoas.
se for uma brincadeira, definitivamente,
não é hora de brincar.
depois de tanta especulação (e pressão),
disse que o churrasco era fake.
muito engraçado isso, porém,
zero novidade, afinal, o governo bolsonaro
é marcado por fakes desde a campanha eleitoral.
tudo certo (errado), tudo normal.

em qualquer país civilizado, seu líder vai para o front,
no brasil, o presidente vai ali, curtir um jet ski.

definitivamente, não dá para entender o que se passa na cabeça
do fanático grupo de seguidores do presidente,
os apoiadores que se intitulam "robô do bolsonaro".
não é atitude cristã,
não é atitude humana,
não é atitude de chefe de nação,
não é justo com o povo.
não há mais nada para ser provado.

andar de manifestação em manifestação,
beijar criancinhas e apertar mãos,
tomar um cafezinho na padaria,
gerar aglomeração.
péssimos exemplos que vem do alto
e refletem nas camadas humildes,
no exército de robôs que pedem
a volta da ditadura.
ai meu Deus, o que fazer
com as atitudes do planalto?

infelizmente, muitas pessoas que
gritaram pelos cantos em defesa do presidente,
apoiando o negacionismo do vírus
e clamando pelo fim da quarentena,
mais tarde aparecem doentes,
aparecem nas estatísticas,
mais um número,
menos uma vida.

quantos "e daí" vocês, apoiadores do presidente,
terão que ouvir antes que este mal chegue
em suas casas?
quantas horas de fila na espera para um atendimento
vocês serão capazes de aguentar?
quantos churrascos fakes e passeios de moto aquática
vocês vão tolerar?

quando vejo alguém se lascando por ter entrado
nessa campanha de que somos um povo imune
a essa gripezinha, não tenho coragem de falar
"eu avisei", não jogo na cara, não compartilho
de um linchamento virtual ou real.
creio que a experiência é o melhor remédio,
afinal, robôs nunca saberão o sentido da palavra empatia.

a culpa pela existência do vírus não é do presidente,
chegou ao brasil e chegará em todo mundo.
mas a culpa por incentivar aglomerações,
hostilizar profissionais da saúde,
banalizar os efeitos da pandemia
nos grupos de risco,
de desprezar recomendações
para evitar o contágio e,
ao contrário, demonstrar
cotidianamente que não tem essa
de usar máscara, evitar contatos
pessoais, dentre tantas atitudes
simples de fazer para que o seu
povo siga o exemplo,
nisso tudo,
a culpa recai diretinho no colo dele.
os que temem as consequências,
que pulem do barco.

se a conduta presidencial for uma
estratégia política, algo
visando reeleição,
certamente, não vai dar certo.
a queda no apoio já é notável,
o grupo tá mais rachado que o salário
dos assessores do flávio.
o antes grandioso exército do bolsonaro,
agora tem a tropa de choque do moro
e as sub áreas de outros ex apoiadores
que também pularam do barquinho.

alô robôs do bolsonaro!
lubrifiquem-se!
vão precisar de muita graxa
para aguentar tudo
que vem do centrão!
boa sorte.


quinta-feira, 30 de abril de 2020

um matadouro.


photo by Nelson Almeida/ AFP
como previsto, os eleitores do presidente bolsonaro
começaram uma verdadeira campanha de difamação contra
o ex-ministro da justiça e segurança pública, sérgio moro.
os ânimos se alteraram abruptamente.
o antes exaltado homem da lei se tornou,
do dia para noite, em traidor, comunista,
antiético, bandido, falso etc.

e colocaram em cheque se era mais importante salvar a biografia dele
ou o futuro de uma nação
(que, por acaso, está nas mãos de quem não tem biografia para ser salva).
as denúncias feitas por moro causaram muito choro
na ala governista e entre os fiéis apoiadores bolsonaristas,
aqueles que se vestem de verde e amarelo e gritam palavras
de ordem pedindo, por exemplo, a volta da ditadura
ou fim da quarentena.
enfim, sempre pedem algo que nos apequena.

bobagens à parte, voltemos ao estado da arte:

o ramagem já foi cancelado,
o novo ministro da justiça
já demonstrou que Deus está abaixo do bolsonaro
e os pedidos de investigação, impeachment,
cassação, exoneração, novos cargos,
de novas alianças e de velhas políticas
supitam em brasília.
a cidade está um caldeirão
de emoções explosivas.

enquanto o parquinho pega fogo,
uma declaração impetuosa toma conta do noticiário:

__presidente, o número de mortos no brasil pelo coronavírus ultrapassou o da china!
__e daí?? eu sou messias mas não faço milagre!

e daí?

só quem perdeu alguém de perto na luta contra a covid-19
sabe o que é ouvir um "e daí" da autoridade máxima do país.
mais uma declaração infeliz.
novidade?
não,
rotina.

__gente, não foi isso o que ele quis dizer!
__ele falou coisa bonitas na mesma entrevista!
__"e daí" não é maldoso.
__ele é assim, verdadeiro! fala o que pensa!
__ele não é falso, fala na tora!
__ele fala o que tá no coração.
__editaram a fala dele...

enfim, o repertório de defesa ao indefensável
é infinito, sugere um passeio numa
vasta área verde, com colinas ao fundo,
tudo muito bonito,
sol suave, brisa massageando o rosto,
lugar de bom gosto, lugar seguro,
lugar onde ainda não chegou o vírus desconhecido,
mas... logo ali, atrás daquelas lindas montanhas,
passando pelo riachinho de águas transparentes
e peixinhos saltitantes que sorriem pra quem os olha,
tem um corredor enorme e sombrio, tem um susto, um estouro:
um matadouro.