segunda-feira, 31 de outubro de 2011

o lula agora para!


o lula fumou muito...
cachimbos,
charutos,
cigarros,
de palha,
de filtro,
light,
ultra ligth,
extra suave...
fumar causa câncer, logo,
o lula tem câncer!
bem na laringe.
não se engane
e nem se finge:
fumar causa câncer!
pare!
ainda há tempo!
você não terá um sírio-libanês
a seu dispor.
é SUS mesmo!
SUS!
só JESUS
na sua
causa!
pare!
ainda há tempo
de se livrar dos odores malditos,
dos dentes amarelados,
das tosses e pigarros,
da voz embaçada,
da dor de uma ida
esfumaçada.
o lula agora para!
e você?

nada de cotocos na ponta dos dedos!


um acidente horrendo aconteceu.
uma unha se quebrou.
como poderia ter acontecido?
lascada?
cortada?
roubada?
quebrada?
arrancada?
comida?
roída?
vai se a unha
e fica a vida.
e acidentes
acontecem.
isso...mais acidente bobo
e tudo voltará ao normal.
nada de cotocos na ponta dos dedos!


o que faz uma coca-cola geladinha?


o que faz uma coca-cola geladinha?
faz uma gatinha perder a linha.
mas não a faz perder confiança!
faz, quiçá, ganhar uns quilinhos
e vestir roupas d´outros linhos!
não!
nada foi jogado fora e nem esquecido...
apenas,
um refrigerante foi bebido.
dois ou mais...
bem! nem vem ao caso!
pois com você
me caso!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

abacaxis e paradas.


uma estrada em obras
e muitos homens trabalhando
nas sombras das escassas árvores
à beira dos canteiros.

um carro um ponto zero
em polvorosa:
corre! corre! corre!
eram 07h50;
era 08h00.
e corre! corre! corre!
um homem grande
se espremendo na frente,
dois homens que não davam
o homem grande da frente.
sai da frente!

calor!
luz vermelha!
alerta!
pifa.

beira de via
de onde víamos
as porteiras da cidade.

socorro!

vem e nos arrasta.
palestra e conforto
e, no motor, sufoco.

vocês vão e o carro fica.
carona pra ir embora.
suspense de uma semana.
e as facadas começam:
juntas queimadas,
cabeçote trincado,
e promessa é dívida.

enquanto isso
a professora atrasa
e as caronas se esquecem.

uma semana e pouco depois
volto à cidade.
era de manhãzinha
volto a tarde.

notas e choros.
desconto,
me apronto
do mesmo jeito
e vou-me
embora
pra minha
jerusalém
celeste.

na volta,
abacaxis e paradas.
fumaça??
e paro.
mais um pouco...
e paro.
água!
mais água!
nossaaa...
que saudades da minha!

mais um reboque
até outra oficina.
que sina...

mangueiras,
ponteiros,
dinheiros perdidos...
certos!
sujeira geral.
dia seguinte,
água e perfumes!
as coisas voltam
como de costumes!
como antes era, normal.

oficinas?
sinas?
estrada
mal acabada?
que nada!
eu quero é viajar
com a minha amada!

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

era na turquia.


a terra tremia de novo.
era dia.
era meio dia.
era na turquia.
pedras
e gentes se escondendo.
camas e sofás
para se refugiar.
a sina
de um lugar
propício
aos tremores de medo.


segunda-feira, 24 de outubro de 2011

paciência na professorença...


tem quem cansa a gente:
a nossa feiura e a nossa belezura.
eu escolhi escrever o conto do gato de botas
porque eu gosto muito da história
e o personagem que eu mais gosto
é o gato porque ele é muito esperto.
certo?
paciência na professorença...

__algas marinhas!

vamos mexer com essas coisas!
__vamos! que coisas?
essas coisas de higiene dental etc e tal!
__oba! por mim tudo bem!
e fazer algazarra no banheiro!
__algas marinhas!

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

vou tocar trompete.


espere!
não espete!
ranca fora esse topete!
vou tocar trompete.
fon fon ron fon!
você merece inspiração!
e inspiração vem sem ser chamada!
(ou quando a conexão ajuda...)
bem, para mim,
basta ver a minha amada.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

estão dizendo que o ditador líbio morreu.


estão dizendo que o ditador líbio morreu.
falaram isso do bin laden também.
e do sadan.
e do elvis.
eles não se morreram-se.
eles se descansaram-se.

lembranças do mal tse-tung.


lá vai um bebê chinês,
lá vem uma van bem grande,
___nãaaaaaaaaaaaoooooooooooo!!!

não. não tinha ninguém pra gritar.

e o bebezinho é atropelado.
um, dois, três...
ninguém para, ninguém ajuda.
medo do livro vermelho.
vermelho é o sangue
derramado.
quatro, cinco seis...
agoniza o bebê chinês.

opa! lá vem outro carro!
é uma camionete!
vem dando seta!
vai parar para ajudar!
__nãaaaaaaaaaaaaaaoooooooooooooooooooooooo!!

não. não tinha ninguém pra gritar.

e o bebê chinês é atropelado outra vez.

sete, oito, nove...
ninguém se comove (?).

uma mulher se aproxima:
__moça! não é uma boneca não!

não. não tinha ninguém pra gritar.

__agora é a mãe?
a mãe. um desconsolo ao pegar no colo
a criança ensanguentada,
esquecida,
perdeu a vida.
lembranças do mal tse-tung.

dia seguinte no youtube:

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

gana:


gana:
pequeno país situado na áfrica ocidental tropical
no golfo da guiné.
um lugar de agricultura rica num continente
que, pra se viver, tem que viver da fé.

gana também é outra coisa:
ganância, ganura, ganadisse.
um negócio de querer apertar,
morder, puxar, esticar, etceterar...
isso é a gana!
me esgana,
me joga na grama,
lama,
me ama!


terça-feira, 18 de outubro de 2011


meu Deus!
que bençãos descem do céu!
todas em forma de água!
e nos dão vida!
e para mim?
para mim reservastes a melhor água do céu!
obrigado! essa água me faz feliz e me dá vida!
uma nuvem carregada
no céu do cerrado
traz você.
engraçado...
nuvem carregadas parecem tenebrosas...
mas essa não.
ela vem suave suave...
como se nunca fosse
tempestade,
como se, sempre,
fosse um belo início
de tarde.

melhor é te ver todo dia!

bom lembrar dessas coisas....
__quais coisas?
as motivações das primeiras poesias!
__ah...
o melhor de tudo é que essas motivações continuam motivantes!
__muito?
muito mesmo! a cada dia melhor!
__melhor que poesia?
melhor é te ver todo dia!

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

te amo tia!!!


bom aprender com você é.
as continhas,
parlendas,
escrever entre as linhas.

sois a professorinha mais linda!
sabe? sois é uma lenda!
não existe neste mundo
lenda mais linda que você não!

muitos presentinho pra você:
cartinhas,
perfumes,
cremes e
bombons.

você é a professorinha
que se transforma
na primeira namoradinha
da gente quando é criança.

serei sempre essa criança, noite ou dia,
por causa da minha professorinha
que é você.
te amo tia!!!


e não carne de pescoço.


hoje vi um beijo triste...
e segui para o batente do mesmo jeito.
já cheguei avançando paradas obrigatórias
e sinais vermelhos.
perdi a noção do clima.
a água despencando de céu
dos lados de baixo e de cima
e eu nem aí.
encharquei mais que coelhos
fora da páscoa.

voava no tempo
do horário de verão.
recostava a cabeça num poste
e lá ficava minutos à fio.
nada de sol,
nada de calores,
só frio.

as perguntas vinham
e eu demorava em responder.
parava o trânsito
e me esquecia de fazer voltar.
e assim foi até o almoço,
hora de conversar.

eu...
sou um bom
moço
e não carne de pescoço.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

e algodão doce à tiracolo.


filosofando sobre nossos planos
sempre nos planos os encantos
de seguir em caminhos,
não menos planos,
e no máximo uma montanha
d´onde poderemos admirar
a paisagem e ver nas nuvens
as luzes, arcos-íris, desenhos
da nossa infância
e algodão doce à tiracolo.

domingo, 9 de outubro de 2011

é o diálogo.


depois de tudo?
depois de tudo será melhor!
suas vontades serão atendidas
como esfregar a lâmpada de aladim.
e as minhas?
passo-as para o aladim também?
dizem
as boas línguas
que o melhor caminho
é o diálogo.
depois de tudo
nadaremos
no calor
de um lago
em rio quente.

reconheço


reconheço
que no dia
em que amanheço
penso
penso
penso
em você.

daí, meu dia é
um sempre
amanhecer.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

sem osso.


noosaaaaaa.......
um dia sem te abraçar fortemente
é ficar sem almoço,
sem pele,
sem osso.

tecnologia confiável para la muerte?


o steve jobs morreu.
um fim triste para uma mente brilhante.
suas criações são objetos de desejo.
não deu tempo de burlar a foice.
da maçanzinha tocante,
que desperta a vida com um beijo,
foi se o pedacinho para sempre.
eternamente.
um aplicativo
para o fim.
tecnologia confiável para la muerte?
ainda não mas...
Deus
sabe.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

e assim vamos mobiliando a casa do tio!

uma mesa com seis cadeiras
e tampo de vidro;
um sofá esperançoso;
uma tv ultimíssima generation;
um microondas moderno;
um arranjo de flores;
panos de prato;
toalhas para os pés.

e assim vamos mobiliando a casa do tio!

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

direito

direito
esquerdo.
lado a,
lado b.
dia de sol
dia de chuva.
de qualquer jeito
só você.

gaviões da fiel!


os gaviões são aves de rapina.
quando ao longe vê sua presa
a pena empina.
e blá blá blá
e blé blé blé...

o gavião com seu aluguel barato
(deveria estar caçando rato!)
é extremamente chato!

gaviões de plantão
espreitam ocasiões:
pra blá blá blá
pra blé blé blé...
pra sentar ao lado
e perguntar
se vais sempre
lá.
ahhhhhhh!!!!!!
gaviões da fiel!
cercam cercam
e o máximo que conseguem
é o chão.
porque o céu já tem dono.


domingo, 2 de outubro de 2011

que nossas cartas nem precisem de correios!



um ano e meio!

meio caminho andado?

um caminho certo

em meio aos desencontros

de nossas estradas.



festa festa festa!



isso merece uma festa!

daquelas que o coração faz

num rítmo frenético

de felicidade.

num felizdume sem noção!

nessa experiência estética

de te encontrar

com o coração

na mão:

__toma!



um ano e meio

é um período de maturidade.

maturidade de uma nova idade.

já estou ficando mocinho!

comecei a caminhar!

corro atrás das folhas que caem do pé de manga,

pulo feito louquinho em cima da cama,

e minha cama fica no chão!

subo na cadeira e ameaço levar um tombo!

corre e me salva!


viva esse ano e meio!

que vivamos mais e mais anos e meios!

que nossas cartas nem precisem de correios!