quarta-feira, 30 de setembro de 2015

galinhas e frangos... eu tenho certeza que são as mesmas coisas!


a lista está cheia de comidas gostosas e carnes gordas.
a lista é gigante!
e tem que ser!
são inúmeros convidados!
muitos nem sabem que pagarão a conta!
mas sabem que nos darão presentes.
uma tonelada de carne moída.
meu Deus...quanta vida...
uma tonelada de pururuca.
é o mesmo que torresmo?
meia dúzia de pernis sem ossos.
o plural de pernil é pernis?
galinhas e frangos, vivos e abatidos.
galinhas e frangos... eu tenho certeza que são as mesmas coisas!
não é possível que sejam diferentes!
outras aves e peixes de águas salgadas que,
obviamente, dispensarão tempero com sal,
e peixes de água doce que, certamente,
precisarão de tempero.
carnes exóticas para os convidados chineses e taiwaneses,
bacalhau para os nórdicos e sardinhas para os paulistas.
fubá pra mingau e milho para curau.
farinha de mandioca a vontade
e polvilho doce e azedo,
um para pão de queijo e o outro também.
bebidas de todas.
água da calu,
suco de época,
cerveja da mais baratinha
e vinho do porto.
isso!
do porto mais próximo!
a lista não para de crescer e espero fechar a conta até o fim do mês.
se depender da alta surpreendente do dólar,
não teremos nada vindo dos estados unidos.
vamos focar nos pesos e outras moedas latinas.
vamos vender latinhas em euro
e comprar sucata da alemanha.
vamos dar um jeito nisso!

cigarras e flores de mandacarus


hoje disseram que faria sol.
foi mentira.
sol existe desde sempre.
fazer o quê?
Deus já fez tudo!
a moça sequer corou de vermelho as maçãs do rosto
ao dizer que teríamos pancadas de chuva.
onde foi??
pancada?
que pancada??
não tivemos nada de pancada!
nem porrada!
nem cacetada!
nem nada disso!
as chuvas foram pacíficas,
por mais que sejam atlânticas.
a moça do tempo voltou a fazer previsões.
moça...por favor...
não acredito em previsões,
adivinhações e nem em astrologia!
também não sei nada de horóscopo
e outras coisas do tipo.
sossega moça do tempo!
acredito mais nas formigas, andorinhas,
cigarras e flores de mandacarus
do que em tu!!
faça-me o favor!
substituam a moça do tempo,
o rapaz do tempo,
o gráfico do tempo,
por um minuto de notícias boas
trazidas por bons ventos!

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

rsrsrs...você uma freira estabanada


sua nova foto de perfil é linda!
a gente se vê e sente alegria.
você é linda de todo jeito!
mas...naquela foto de perfil
estás mais linda ainda!

estou ao seu lado.
quero ser seu perfil também.
te olhando de frente, de lado,
andando junto,
meio gente, meio sombra,
muitas vezes, colado.
vamos curtir muuuito!

as vezes me sinto atropelado
por seus carinhos violentos
que me lançam longe.
rsrsrs...você uma freira estabanada
e eu um monge.

vamos, certo e sempre,
continuar sorrindo.
tempo vindo ou indo,
seja sempre bem-vindo!
o que me vale é ser sua companhia
para estes dias quentes
ou para os dias frios.
sorvetes e chocolates quentes?
isso só depende da gente!
ter um bom plano odontológico,
um carro com ar e direção
e uma casa bem decorada...
pronto! só Deus nos basta!

eu comendo meu bolo e as mulheres gritando lá embaixo.


uma corrida no centro da cidade e um monte de carros passando perto.
isso é fitness? é saúde?
correr em meio a um trânsito caótico e poluído?
de muitos milhares de monóxido de carbono imbuído?
nada coerente e nem certo.

passa um ônibus e muitas crianças põe a cara pela janela.
oba! pensei.
entrei no ônibus em movimento e me estiquei no chão.
na verdade, não era um ônibus qualquer...
era uma sala de aula!
e a professora naquele momento,
por incrível que pareça,
era a esposa do meu cunhado.
pedi um copo d´agua para ela e nada.
reclamando, disse que eu estava incomodando.

continuei por alguns quarteirões quando vi lá fora
minha chefa e minha noiva.
as duas gritavam para que eu descesse
por que eu estava atrasado.
para o que estava atrasado eu não sei.

antes de descer, comi um pedaço de bolo oferecido por uma criança.
eu comendo meu bolo e as mulheres gritando lá embaixo.
desci limpando a boca.
ah! e o ônibus sala de aula continuava em movimento!

me encontrei com a chefa e a noiva
e as duas não paravam de reclamar na minha cabeça.

duas pessoas que seguiam logo a frente
e que acompanhavam as mulheres nervosas
aguardavam por nós na esquina,
momento em que...
um caminhão muito grande não conseguiu fazer uma curva
e começou a manobrar em marcha ré,
momento em que atropelou essas duas misteriosas pessoas
que até hoje não sei quem eram.
uma delas foi atingida na mão
e a outra na cabeça,
esta ficou caída e precisou de resgate.

a chefa e a noiva vieram me acusar de ser o culpado pelo acidente,
me diziam que, se não fosse a minha demora,
isso não teria acontecido.
que bobagem...
acidentes acontecem!
e os passarinhos começaram a cantar...
opa! hora de trabalhar!

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

basta um espirro solar.


ela vai trabalhar e passa a tarde toda ralando.
ensina as crianças, brinca, cuida e tudo mais.
corre para apartar uma briga de intervalo,
agiliza para todos estarem em sala.
escreve na lousa,
conta histórias,
salva a caneta caída num ralo.

toma a tabuada e capricha num ditado.
bebe água
e toma providências.
o calor está forte
e, para chegar aos 40 graus,
basta um espirro solar.
mesmo com toda correria do dia,
no fim da tarde,
ao buscá-la na porta da escola,
sinto o perfume gostoso que vem dela.
nada de cc,
nada de chulé,
apenas,
uma linda mulher!
você está de parabéns!
cinco estrelas!
coraçãozinho!
um amor!

__champagne! e um buquê de rosas!


sem vaidade.
uma flor nasce
e tudo que sabemos dela
é verdade.
A flor, com toda pureza e beleza, não mente.
um gesto de amor,
o ar da graça,
a consciência deitada numa rede beirando o rio.
tudo leva à liberdade!
mesmo que toda massa
corra para o concreto,
que todas as ovelhas caiam num buraco,
a flor nos leva,
com leveza e sobriedade, inebriando-nos
com brisa suave nos olhos e narinas.

muitas flores juntas fazem festa!
primavera chegou!
flores, sementes e frutos!
toda unidade que transforma a vida!

semente que germina em terra boa,
calmamente nasce.
__olhem!! outra flor cresce árvore!

a tarde o sol queima feito brasa,
águas e ventos fortes não são desafetos.
mesmo assim, com força e sorte,
ela segue sendo sombra.
a sombra em nossos desertos,
a doce sombra que nos é asa.

a primavera árabe foi um grito de liberdade,
a vontade de florescer assim,
sem ninguém para podar,
retalhar, arrancar unhas ou corações.

a flor na boca do canhão,
a flor no chão:

pisada.

a flor nas mãos cruentas,
a flor sobre o caixão.
a flor queimada,
a flor de nossas mãos,
com violência,
arrancada.

a flor sobre a mesa,
a flor no jardim,
na tiara da menininha,
na grinalda da noiva,
no beijo da chegada,
na cama,
no banho,
numa casinha no campo. a flor para mãe,
a flor para amada,
a flor que insiste em perfumar-se
mesmo que em meio ao nada.

flor que morre e renova.
sim...
é preciso morrer para nascer de novo.
algumas flores resistem às guerras dos homens
e brotam em meio aos entulhos.
sem rancor, sem medo, sem barulho,
o verde faz a esperança brotar junto.

os olhos de um algoz, de cima,
nada vê.
não consegue curar sua cegueira.

os olhos de um defunto, de baixo,
alimentam o verde e o colorido lá em cima.
a vida se desdobra para continuar
e, de qualquer jeito, seguir sendo vida.

as flores alcançam o auge da beleza
e atraem abelhas e pássaros.
também encontram mãos para colhê-las.
depois de um ciclo,
as pétalas, pálidas,
se desprendem e com a terra,
se entendem.

__nasceu mais uma criança!
__champagne! e um buquê de rosas!

Ah...ser livre é uma dádiva!
coloco a flor na cabeça,
nos punhos,
na lapela.
encho de flores minha janela!
no altar acendo uma vela,
e ilumino de cores a capela!
deixo a primavera cumprir sua missão:
renovar a vida,
perfumar o céu,
inspirar a paz
e colorir o chão.

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

fazer cachoeira em terra árida.


sol que arde em pleno inverno,
vento que nada move.
a boca seca pede com todo esmero
beijo e água é o que mais quero!
de tanto assim pedir a água resolve
fazer cachoeira em terra árida.
nem frio, nem neve, nem oito ou nove,
nesse inverno esquisito
quero mais é ficar bonito na fita!
descer de rapel essa cachoeira
e me esbaldar em águas doces e macias!
do pulo ensandecido da tampa da marmita
ao mergulho refrescante nas águas que me fazem.
nossa! isso é bom demais!!
o sol agora me serve apenas para marcar
as cicatrizes dos tempos de criança.
um caminhão de picolés de uva
e um filtro de barro do lado.
vamos ficar aqui assim, parados.
nada de desesperos!
nada de aflições!
nem unhas roídas!
o que queremos é aproveitar nossas vidas!

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

o roberto tá caidaaassssso pela morena!


esta é uma reportagem que está idêntica em 300.000 sites de fofoca!
inclusive aqui, que quase não tem fofoca!
mas tem o copia e cola
que nem nos 299.000 sites citados!

"A idade não afetou em nada o sucesso de Roberto Carlos, de 74 anos, com a mulherada. Isso porque, solteiro, o cantor está apaixonado e pode engatar um romance em breve.
De acordo com informações do jornal “Extra”, a sortuda é Viviane, uma moça de pouco mais de 20 anos e que mora no mesmo bairro do veterano no Rio de Janeiro. Para conquistar o coração da morena, o famoso manda flores e mostra que é um homem romântico.

O comentário na região que ambos vivem é que Roberto está caidinho pela mulher de 50 anos a menos do que ele. Apesar disso, por enquanto, ela não correspondeu a paixão do artista que passa de carro, buzina, e conversa com a moça cheio de sorrisos no rosto.

Há alguns dias, não vendo Viviane no local de costume, o Rei perguntou para um comerciante onde ela estava e pediu para que o rapaz enviasse um recado: assim que ela voltasse de viagem, era para procurar por ele."

é isso mesmo!
o roberto tá caidaaassssso pela morena!
mas a morena, até onde foi apurado,
não tá dando mole não...
ahh....pobre coitado...
mesmo buzinando sua lamborghine
e mandando flores todo dia,
ainda não virou música.
aliás, é bom que a moça ajude o rei
e facilite as coisas,
caso contrário,
teremos mais um cantor sertanejo.


que os dois saiam derrotados!


a briga agora ficou mais feia ainda.
quanta feiúra!!
dois monstros incandescentes, com chifres e fuzis,
com rastros de fumaça e sangue, guiados por letras
compulsivamente fundamentalistas por mais que denotem algo diferente.
duas pragas que trazem no cerne uma guerra antiga,
cheia de mágoas, ressentimentos, vingança e fanatismo.
sede de poder.
mortos de fome.
vamos a notícia:

"No dia em que se completam 14 anos do atentado terrorista às Torres Gêmeas, nos Estados Unidos, a Al-Qaeda declarou guerra ao Estado Islâmico. Em uma mensagem de áudio, o líder Ayman al-Zawahiri acusou o cabeça do grupo jihadista, Abu Bakr al-Baghdadi, de insubordinação.

´Todos ficaram surpreendidos quando al-Baghdadi se proclamou como o quarto califa da história islamita, sem consultar ninguém`, disse Zawahiri na mensagem.

´Preferimos falar o mínimo possível, centrados na preocupação de extinguir o fogo da insubordinação, mas al-Baghdadi e os seus irmãos não nos deixam outra opção, pois exigiram que todos os guerrilheiros renunciassem às alianças e jurassem aliança ao que dizem ser um califado`, continua.

Ayman al-Zawahri já havia classificado a facção Estado Islâmico e seu chefe como ilegítimos. O Estado Islâmico, que controla vastas áreas do Iraque e da Síria, prometeu estabelecer um califado no Oriente Médio.

O grupo assumiu o controle de amplas faixas de território da Síria e do Iraque no ano passado. A reputação do grupo por assassinatos, torturas, conversões forçadas e até mesmo escravidão provocaram uma fuga em massa de iraquianos e sírios para os países vizinhos, como Líbano, Jordânia e Turquia, antes de viagens arriscadas para a Europa."

pois é...
al-qaeda X estado islâmico: quem vence essa contenda?

em londres os apostadores já começaram a palpitar e,
pela primeira vez há uma unanimidade!
entenda:
que os dois saiam derrotados!
a aposta principal mudou de rumo:
queimados? afogados? degolados? fuzilados? detonados? crucificados?
não importa!!
que os dois saiam derrotados e que a humanidade fique um pouco melhor.

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

não há nada melhor que dormir em paz.


dependemos um dos outros para sobreviver
e isso é fato escrito, narrado e certo.
algumas pessoas agem de maneira prepotente e
arrogante, carregam um ar sujo
que lhes sujam o nariz empinado.
pensam que podem tudo, que são tudo,
que tem dinheiro e isso basta.
pisam, maltratam, escarneiam.
fingem bondade para,
mais tarde, roubar a outra metade.
são injustos e gananciosos,
fedem covardia,
trapaceiam noite e dia.
um lobo em pele de cordeiro.
o que se ganha sendo assim?
a tez sem rubor?
a infelicidade de se desencontrar-se?
o rufar de um tambor?
a mentira?
a rua sem saída?
não há nada melhor que dormir em paz.
é isso que vale a pena:
dormir em paz.
por isso inventaram os maravilhosos colchões magnéticos
e com pequenas bolinhas massageantes!
ahhhh! viverás um excelente sono!
conheça os novos modelos!
compre e indique para cinco amigos
e você terá um brinde surpresa:
um delicioso travesseiro com penas de ganso!
ma ra vi lho so!

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

a poeira some e as pegadas ficam.


vejo tuas marcas dos pés feitas com a água da chuva
e me alegro duplamente:
você e a água.
por você anseio todo dia,
pela chuva já estava cansado de esperar.
a poeira some e as pegadas ficam.
e quanto mais a água corre,
menos poeira levanta.
a água é uma corredora límpida.

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

o artista e a moça da plateia.


foi um show daqueles!
mega produção!
anunciamos agora o show feito para namorada!!
que venha a namorada!!
e sobe ao palco uma moça estranha...
uma mulher de um adão qualquer.
indignação e raiva se aprumam na moça da plateia.
__isso é farsa!! é vadia! é gonorreia!!
uma confusão está armada
e muita gente morre pisoteada.
quando menos se espera,
apenas dois sobreviventes:
o artista e a moça da plateia.
viu? não precisava arrancar seus cabelos!
não há nada que não se resolva num pesadelo!

os pulmões já estão cheios.


os brinquedos ficaram em casa mas
a casa estava sitiada.
uma guerra civil sangrenta se espalha pelo país.
famílias inteiras abandonam tudo para,
ao menos, não perderem suas vidas.
pai, mãe e dois filhos se arriscam na travessia pelos mares.
não há nada a perder.
o sol escaldante e o excesso de passageiros
fazem do pequeno bote salva-vidas
armadilha mortal.
num desses devaneios do mar e dos famintos,
o bote vira.
o homem em desespero segura com firmeza a mão de sua esposa,
as crianças são trazidas até o peito por um dos braços.
neste momento há uma luta pela vida
e uma guerra naquela cabeça:
como todos poderiam se salvar?
num ímpeto pelo ar, as crianças escorregam da mão do pai,
em gritos horrendos, choram e se misturam às águas.
a mãe também se esvai tragada pelos mistérios do oceano.
o homem chora.
copiosamente chora.
não...não era esse o plano...

o sal de suas lágrimas se perdem nas águas do desespero.
tudo é muito salgado e áspero nessa vida.
com braçadas fatigadas,
unhas e pelos,
tudo doía.
um dia é socorrido.
coração ferido,
perdido,
está só no meio de uma multidão de imigrantes.
cada um sentindo-se mais solitário que o outro.
sentem-se animais.

mais tarde o corpo de uma das crianças renasce descansando numa praia turca.
a posição remete ao repouso típico dos bebês.
o castelinho de areia não existe.
as ondas batem no pequeno corpo e o molha com as lágrimas do pai.
o colo da mãe ainda o aquecia
e a beliscadinha dada pelo irmão ainda coça.
estrelas do mar se apagam ao amanhecer
e algumas águas continuam vivas.
o corpinho do menino sírio é uma estrelinha de bruços na areia.
dentre tantas estrelinhas esta tem nome: aylan.

e numa bela manhã
amanheceu o menino estrela aylan!
repousando das tormentas na praia
sonhando para que outro dia lhe caia!

o menino estrela brilha intensamente.
seu brilho deixou perplexo os olhos do policial que,
com suas luvas brancas,
retirou cuidadosamente a criança de suas brincadeiras.
a fotógrafa fez a foto da sua vida,
mesmo que a morte a tenha ajudado,
foi capa.
o corpinho cansado segue para outro lugar e,
certamente, lá não haveria mar.
o pai decide voltar pra sua cidade natal.
não faz mais sentido seguir em frente.
para quê seguir em frente?
este mar, esta fuga, esta sede:
tudo foi tão mau.

volta atrás.

volta para dar a sua família os únicos sete palmos que lhes restam.

aylan se transforma em mais um símbolo do sofrimento dos imigrantes
que lutam pela vida em outras terras.
de quantos símbolos precisaremos ainda?

mesmo que outras terras não os queiram,
eles insistem.
não dá para esperar a degola,
a fome, as doenças, a falta de água e de travesseiro.
não! não dá!!
não dá para esperar estupros,
humilhações, o fogo,
o tiro certeiro.

não há nada melhor que vivermos em nosso cantinho em paz,
não há nada melhor no mundo inteiro!
com as coisas que precisamos ali, ao nosso alcance.
é dádiva!
é gratidão!

podemos assistir tudo de camarim
e esperarmos, sentados,
o fim das primaveras e pesadelos árabes,
asiáticos, africanos...
somos americanos!
mas não podemos nos retirar a responsabilidade.
somos, antes de qualquer nacionalidade,
humanos.

a estrelinha aylan sorri para nós.
podemos ajudar?
sim!
nos resignando,
orando,
doando,
exigindo dos governos,
da onu,
de qualquer lugar!
de qualquer órgão para que seja mais coração.
os pulmões já estão cheios.
um suspiro de esperança pelos aylans
que sonham, ao menos, com uma cama quente.
ai...isso dói no coração da gente...
dorme nenêm
pra um dia acordar...
papai foi buscar pão
e mamãe está aqui,
segurando sua mão.


quinta-feira, 3 de setembro de 2015

suco bão é o de manga!


dizem os antigos que melancia combinada com uva itália
fazem um bem danado para as regras femininas.
a lei da natureza é claro:
não mexe com quem tá queto!
em clubes, piscinas e afins,
em tempos de desregramentos,
apenas assista o sol se por,
caso contrário,
o preço é caro e cheio de dor.
ainda bem que melancia nunca sai de época
e uva itália a gente encontra facim!
suco bão é o de manga!
misturamos com leite e ninguém morre!

terça-feira, 1 de setembro de 2015

eu bebo e ninguém tem nada com isso!


você é o brilho que incendeia meus olhos
e a água que apaga esse fogo todo!
você é a estradinha mais linda por onde passei
e desejo conhecer cada curva, cada paisagem,
cada flor que margeia meus passos.
você é a música que me faz descansar
e entrar em outro mundo, outra dimensão.
você é a meditação mais gostosa que poderia eu ter.
você me resgatou há 5 anos e 5 meses.
é...estava eu me afogando em coisa que não era água.
eram substâncias tóxicas,
lixos atômicos,
urina de animal peçonhento.
e agora?
agora você é meu alento!
me sustenta com teu abraço,
me emociona com seu carinho,
me faz feliz assim, do nada!
serei eternamente grato pela sua atitude,
pelos passeios de mãozinhas dadas,
pela coragem de me adicionar no orkut.
serei eternamente grato pelo acidente de carro,
pela visita na afap,
pelo nosso posto.
saiba amora que serei sempre esse bom moço,
nunca te serei carne de pescoço!
vou seguir te beijando o pé
e te chamando de minha mulher.
é amor, com certeza pode crer!
em meus olhos pode ver!
esse brilho de um bobo que se alegra!
você é o brilho que incendeia meus olhos!
e me faz ver o quanto o mundo é belo ao seu lado!
mesmo que o sol nasça quadrado,
mesmo que o sorvete venha desmanchado,
mesmo que o marta rocha seja pirateado,
mesmo assim,
ao seu lado tudo é belo,
é verde,
é amarelo,
é azul e branco!
é brasil campeão na educação,
na saúde, na segurança e até no futebol!
meu voto será sempre seu!
mesmo que suas unhas se tornem extintas,
mesmo que suas filomenanças destruam nossas taças,
mesmo que o ovo saia salgado,
mesmo assim!
ao seu lado tudo é belo!
obrigado água pura!
obrigado água minha!
sede?
de jeito nenhum!
ao seu lado não existe sede!
bebo e muito!
eu bebo e ninguém tem nada com isso!