segunda-feira, 31 de março de 2014

__moça! me dá um refri! vocês aqui não tem garçonete de biquíni, né?


__bar molhado...legal!
__mas as mesas ficam sempre sujas!
__ninguém entra na água para buscar as latinhas e o lixo todo!
__alguém precisa ajudar!
__to indo!
__moça! me dá um refri! vocês aqui não tem garçonete de biquíni, né?
__rsrs...
__é, por que ninguém limpa as mesas! mas fizemos isso por vocês!
__obrigada...
__olha só...
__cuidado com ele!!
__isso é cachorro que late e não morde!
__não é nada não gente! fiz um comentário por causa do bar molhado!
__sei..sei...
__me dá a mão...
__(...).
__abra a mão!
__(...)...!
__kkkkkkkk! ai meu pai!!!
__vai...vai rindo...cara de pau...
__abre a mão, sô! vamos entrelaçar nosso dedos!
__não. nada disso....
__kkkkkkkk!! ai meu pai!!!

o país viveu o milagre do endividamento.


50 anos do golpe.
o tempo parou para muitas famílias.
desde o início até seus últimos dias de sorrisos forçados,
a ditadura fez muitas vítimas por este país afora.
os motivos beiravam a paranoia e as pessoas eram acusadas
de subversivas, comunistas, anarquistas, artistas.
muitos foram levados de seus lares
para lugares de onde nunca mais voltariam,
outros tiveram a sorte do exílio.
a música foi obrigada a se disfarçar,
o teatro se revirou,
o cinema pornochanchou,
e até as novelas precisaram se adaptar.
o brasil perdeu a filosofia e a sociologia e,
de quebra, ganhou a moral e cívica.
ninguém fiscalizava nada!
sem congresso, sem ministério público, sem nada.
a imprensa?? calada a ferro e fogo!
e o dinheiro público navegou calmamente para outros mares.
o que comemorar?
nada.
o país viveu o milagre do endividamento.
20 anos socado na escuridão da idade média.
20 anos no laço dos americanos do norte.
a democracia é um sonho que sonhamos sob o pesadelo das torturas,
do travamento intelectual, da censura.
o país parou nos tanques e fuzis yankees.
um dia precisaríamos sair disso tudo.

saímos.

o pesadelo acabou
mas a luta por um país melhor continuará sempre.
será sempre um sonho?
quando acordamos e nos deparamos com a copa do mundo de futebol por aqui,
percebemos que o sonho com final feliz ainda voa longe deste país.
o padrão fifa seria excelente em nossas escolas e hospitais.
temos vergonha das obras atrasadas dos estádios superfaturados
e morremos de vergonha em nossas salas de aula sem cadeiras,
sem teto, sem professores.
morremos de vergonha nos corredores contaminados dos hospitais,
morremos pela falta de leito e leite.
vivemos ainda a ditadura dos gastos à revelia?
temos esperança e otimismo.
sonhamos com um país melhor qualquer dia.
lutamos.
gritamos.
sorrimos espontaneamente,
apesar da ditadura engravatada que dita as leis
e quase sempre legislam em suas causas particulares,
sorrimos espontaneamente.
apesar dos estádios bilionários,
dos latifundiários,
dos corruptos,
sorrimos e vamos à luta.
quem espera, morre de preguiça.
precisamos de educação para votar certo.
precisamos de saúde para não vender nosso voto por um empurrão na fila do sus.
precisamos de honestidade em sua esfera mais profunda e superficial.
50 anos do golpe.
não podemos cair de novo.
nem de podre.
nunca mais.







sábado, 22 de março de 2014

uma ragazza italiana, de pele alva e olhos azuis.


estava tudo bem quando ela teve uma crise de ciúmes.
era para ser uma crise simples e aceitável,
mas foi violenta.
uma mulher de traços finos e olhar buscando o céu foi a causa de tudo.
uma ragazza italiana, de pele alva e olhos azuis.
__não acredito! no dia do nosso aniversário de primeiro beijo você me beija outra na minha frente?? que qué isso??
__calma! ela é santa! kkkkkkkk!! kalmaa!!
__eu toda felizinha pela nossa data e você tendo essa cara de pau?? beijando outra na minha frente? e rindo da minha cara??
__mas...mas...ela é apenas uma santa!!
__nem pra beijar no rosto! beijou na boca!!
__kkkkkkkkk!! kalma....é apenas uma santa!! é uma imagem!! veja! isso é um banner!!
__mesmo assim!
__veja! ela é santa!! é uma foto meu Deus! ela morreu em 11 de abril de 1903!!1903!!!
__não quero nem saber!! você beijou outra na minha frente!! tem lógica?? beijar outra no dia do aniversário do nosso primeiro beijo?? aff!
__kkkkkkkkkkkkk!! para com isso! vou morrer de rir!!kkkkkkk
__aff!
e finalizou assim mesmo.
a crise de ciúmes continua e não sei como sairei dessa.
ainda justifiquei que temos o hábito de beijar imagens sacras.
__muitas vezes beijei a imagenzinha de nossa senhora aparecida!
__mas nunca na boca!!
__já beijei são francisco também!
__ele é homem!
mas foi a primeira vez que beijei a joinha de cristo,
santa gemma galgani.

quinta-feira, 20 de março de 2014

minina muzinha bunikinha


minina muzinha bunikinha
caminha na rua dando xilikes!
anda, corre, saltita!
__upaaa!
trupica!
minina muzinha ripilica!
dá cabeçadas, aperta a cara, estica os braços!
__e não faz mais nada??
mortal frontal, tiques calmos e nervosos!
a minina muzinha não entra na linha!

quarta-feira, 19 de março de 2014

mais linda ainda!


e é assim:
a cada dia
que vem,
mais linda fica!
ahhh...é a vida?
mais linda ainda!
merece churrasqueira de mentirinha
e também um amplo espaço para lavar roupas!
sabe por quê?
porque sua beleza nunca cansa!

domingo, 16 de março de 2014

a família pobre do sertão da bahia


lá estava a mãe natureza!
sorridente como sempre!
me falando alguma coisa enquanto carregava o mundo nas costas.
__pare com isso! vai te deixar cansada!
sorria apenas e ofegava.
só.
vai e volta onírico momento
repetindo sempre
a mesma história:
a mãe natureza, feliz,
porém, cansada.
e hoje é o dia de festejar o nascimento.
nada de festejarmos morte!
hoje é o dia dezesseis daquele ensolarado mês de março de 1946.
a família pobre do sertão da bahia
sonhava com novos dias.
num gesto desconhecido, doou a criança aos sete anos de vida.
vai tentar a sorte no goiás...
foi.
anos sem contato.
na época, apenas terra e mato.
telefone? carros? escola?
luxo!
a pequena seguiu sua sina.
crescer entre uma família que não era a sua
e casar-se-ía com um primo torto.
ainda bem que se casaram!
agora estou aqui para relembrar os fatos que pairam minhas memórias.
felicidades amada mãe natureza!
comemorando com os anjinhos do céu!
por aqui, seguimos nossa estrada,
sem a luz de nossa vida,
mas seguimos,
seguindo os passos de seus ensinamentos.
para sempre, um caminho certo e,
incrivelmente, iluminado.

quarta-feira, 12 de março de 2014

uma noiva vista pela metade


uma noiva vista pela metade,
uma boa notícia de fim de tarde.

um convite para catequizar as criancinhas do bairro,
um não, um talvez, um sim com intenção.

uma pesquisa sem compromisso pela internet,
anula aqui, anula acolá...é...acho que vai dá!

uma primeira instância alcançada!
ôoo coisa danada!
agora é esperar a decisão dos goianada!
que o Bondoso faça correr o processo,
por que de processo lento e sistema bruto
já estamos cansados.
a casa ta pronta,
as malas ainda não.
meia noiva maquiada,
produzida e linda assim mesmo!
que venha o segundo dia!

mineradores do desconhecido!


sou de minas!
cada curva, cada meio, cada fim
trazem Deus mais perto de mim!
terra de pura inspiração,
donde pairam os ares da poesia,
donde brotam letrinhas do cerrado
que se elevam rumo às montanhas.

depois de dores e alegrias,
se misturam no céu azul
e chovem nas gentes deste brasil inteiro!
estas terras mineiras...
ai meu pai estas terras mineiras!...
nos
fazem
todos
mineradores do desconhecido!

disseram-me "ce tava sem umbigo!"


sonharam comigo um sonho esquisito.
disseram-me "ce tava sem umbigo!"
ficar sem umbigo não é nada bonito, pensei.
e, sem umbigo, de onde eu vim?
o umbigo tem sua importância!
ele é o centro do corpo!
não é o começo (por mais que seja!),
não é o fim!
é o meio!
o ponto de equilíbrio!
onde, vez por outra, aparecem fiapos
desprendidos de nossas roupas.
ah, vai! sem rodeio!
o umbigo é lindo!
por isso tanta gente vive em torno dele.
e dali não sai.
relax...ele está muito bem...
dê uma limpadinha nele e vá à luta!
vamos cuidar dos outros!

domingo, 9 de março de 2014

uma alucinação?


abri a porta da minha casa.
ouvi um barulho vindo do banheiro.
entrei meio sorrateiro.
o barulho vinha do chuveiro.
por um instante, vislumbrei a famosa cena de hitchcock.
bobeira.
cena violenta desnecessária.
continuei meus passos lentos.
abri a porta e vi o barulho.
chuveiro ligado no máximo,
e, pela fumaça, na posição inverno.
como me esqueci do chuveiro ligado??
fiquei admirando aquela água toda caindo
e a energia que se esvaia ralo abaixo.
a cena toda me causou uma espécie de vertigem... sei lá...
não desliguei o chuveiro
e a água seguiu descendo.
da fumaça brotava uma bela imagem.
meia luz do dia misturada aos arcos-íris que surgiam da janela.
uma musa inspiradora?
uma alucinação?
uma sereia cantora?
nunca saberei.
o peso das contas me forçaram a tomar uma dura decisão:
desligar tudo!
menos a imaginação.

quinta-feira, 6 de março de 2014

cupido levado!


agora chegamos na linha dos três anos e onze meses!
já caminhamos muitos dias e noites juntos!
durante os dias de sol, foi sombrinha!
de chuva?? fui guarda chuva!
durante as noites sem lua fui farol!
com lua?? fui poeta!
seguimos uma flecha certa
que saiu pela tangente
de um cupido moleque
que acertou em cheio
o coração da gente.
mal olhou, mal mirou, mal pensou...
__vai dar certo!
cupido levado!
deu-me papel e caneta
e um pouco de cara de pau.
escrevi duas linhas,
ambas tortas,
e coloquei no bolso da musa
de inspiradora beleza.
__leia depois!
o cupido fez a parte dele
e conseguiu a delicadeza:
juntou nós dois!
um coraçãozinho só!
caminhando nestes dias de sol e chuva,
nestas noites de lua e escuridão,
mas...
caminhando juntos!
e esta é a intenção!

vale demais valorizar cada segundo ao lado de quem amamos.


encontrei-me com minha mãe natureza de novo.
ela estava bonita e com um sorriso lindo!
apesar de tudo, estava cansada...
e escondia o cansaço do corpo atrás de um semblante tranquilo.
___não se esforce tanto! vai ficar cansada! acalme-se!
e continuava me sorrindo com aquele semblante lindo!
maravilhosa!
minha mãe natureza estava maravilhosa!
e eu continuava meio super protetor...
a gente sabe dos tesouros que temos nesta vida...
vale demais valorizar cada segundo ao lado de quem amamos.
mãe natureza...saudades!
obrigado pela visitinha rápida!
ajuda-me a viver em paz.

terça-feira, 4 de março de 2014

viva o jorjão! ele é gente boa!


bairrão não é vainão!
se bem que, buscando nas primícias da nossa língua popular portuguesa,
modificar alguns vocábulos era normal.
o b pelo v era uma ocorrência normal:
bassoura, baca, etc.
mas bairrão no sentido em que foi aplicado
se refere a um bairro muito bom.
casar com mininim?
vaissim!

e um presente do jorjão??
o que há de mal nisso?
pode ser produto quebrado?
pode ser desvio de rota?
é mais barato?
vai saber!
tá à venda?
você foi lá e comprou!
que crime cometera?
nada!
nenhum!
presente manero!
parabéns!
não se constranja em comprar no leroy merlin dos pobres!
viva o jorjão! ele é gente boa!
nunca foi preso à toa!