sexta-feira, 17 de maio de 2019

vagabundos e maconheiros


Photo by Jammerson Antônio Souza
não participei de nenhuma manifestação em 2013,
nem tão pouco em 2016.
me orgulho de não ter colocado a camiseta verde e amarela
e seguido pro meio da multidão para fazer selfies.

mas em 2019 as coisas mudaram.
participei da paralisação nacional da educação
proposta para o dia 15 de maio.
não ensaiei o hino nacional,
peguei nada e fui me juntar
aos professores e alunos.
encontrei meus amigos da ufu,
meus mestres, a equipe da secretaria,
a turma do instituto federal,
das escolas estaduais e municipais,
muita gente boa cercando a cidade.

não.

ninguém estava a fim de guerra,
celebrávamos com nossas bravezas a paz.

contra o corte orçamentário na educação,
pelo fim de uma governança que privilegia
os coitadinhos dos empresários e pune,
de maneira vingativa, quem mais se levantou contra essa balbúrdia
que está se tornando nosso país.

__esse povo que tentou avisar tem mais é que se lascar!

a grande passeata seguiu pacífica pelas ruas do centro.
entre umas vinte mil pessoas, gentes de todas as áreas da educação, representantes
de movimentos sociais, religiosos e militantes de partidos de oposição,
todos com uma mesma pergunta:
__por que querem sufocar a educação?

a educação é a porta que se abre na vida de quem não tem outro meio senão este
para subir na vida e viver com dignidade.
uma vez educado, aprende a querer que a todos cheguem os livros.
meu guru é o freire.

a contingência imediata tem que acontecer nos atos impensados
dentro do próprio desgoverno federal, que não consegue sustentar uma ideia
por 24hs, que batem cabeças, que envergonham uma nação inteira
com uma tremenda falta de inteligência,
de habilidade, de senso.
tudo é ranço e vontade de vingança.
quem vai entrar nessa dança?
os estadunidenses podem entrar quando quiserem.
trump aqui é deus e o holocausto é coisa da esquerda.
gente, é sério! isso cansa!
saiu mais um diretor do inep,
acabei de ver no twitter.

segui firme numa marcha indignada contra tudo que ataca a educação.
as mentiras (tão comuns) que desqualificam pesquisas e pesquisadores,
o corte de bolsas, o fechamento de unidades escolares,
o retrocesso.

os homens direitos e santos que não se sensibilizam
com as violências contra a educação,
que acharam bonitinha a aula do chocolate,
que aceitam que dói menos,
que gostam de atirar e torturar,
que são dignos senhores da verdade e do puritanismo,
de maneira jocosa e preconceituosa,
se viram, do alto de seus santos pés,
no direito de qualificar, a todos que estavam em luta
pela educação, de vagabundos, maconheiros, lésbica ou puta.
fazem de tudo para desmerecer a luta por algo que, senão hoje,
amanhã será o orgulho de seu filho:
__passei na federal!!!!
afinal, não é para isso que pagam colégios caros?

é...eu estava ali, ao lado de professores doutores,
freis franciscanos, pesquisadores, estudantes das mais diversas áreas
e de todos os graus, trabalhadores, ativistas,
pessoas que conheço de longa data,
que são dignas e transbordam amor em seus olhares
e que os defensores da moral, dos bons costumes e das armas,
generalizam por vagabundos e maconheiros.

pode ser que existissem no meio da multidão
vagabundos e maconheiros,
do mesmo modo que existem pessoas sensatas
e também muito cheias de amor que apoiam
a atual conjuntura política, que são partidários
do presidente e dos seus surpreendentes ministros.
como bem pode ver, isso é tão comum
quanto ganhar na mega sena com uma aposta
feita pela internet.

muitos que não tiveram
a capacidade de usufruir do ensino público federal,
assim como o olavo de carvalho,
passam a vida toda falando mal de algo que não conhecem,
apenas acreditam no que conseguem comprar.
compram pouco e já mascado, depois
grudam em baixo onde sentam
suas perfumadinhas e depiladas bundas.

sim!

foi e é uma grande alegria fazer parte desse movimento
que defende a educação, as nossas pesquisas e pesquisadores,
nossos cientistas que fazem milagres com os já parcos recursos,
cujo governo, arbitrariamente, quer reduzir ou extirpar.
enquanto houver vida, esperança, coragem, fé e vergonha na cara,
a luta continuará!
vida temos,
esperança nunca morre,
covardia é para os covardes,
fé é por a mão na massa,
vergonha na cara é não compactuar com as balbúrdias nossas de cada dia.

a luta continuará!
não importa quem esteja lá,
a luta é para sempre nos melhorar,
para que todos possam sair de suas cavernas
e aproveitarem, da melhor maneira possível,
a luz do sol,
à luz do saber,
mais que ler,
mais que escrever,
saber.

Nenhum comentário: